Províncias

Estado de estradas de Cangandala preocupa autoridades tradicionais

Adelino Ngunza | Malange

O estado lastimável das estradas que ligam as comunas do Bembo e Caribo, falta de água potável, de escolas, postos de saúde, liquidação de subsídios e salários em atraso, falta de comerciantes e de escoamento de produtos agrícolas foram as preocupações apresentadas pelas autoridades tradicionais, ao secretário do MPLA para os assuntos económicos e eleitorais.

Defendida a reabilitação das estradas
Fotografia: Jornal de Angola

O estado lastimável das estradas que ligam as comunas do Bembo e Caribo, falta de água potável, de escolas, postos de saúde, liquidação de subsídios e salários em atraso, falta de comerciantes e de escoamento de produtos agrícolas foram as preocupações apresentadas pelas autoridades tradicionais, ao secretário do MPLA para os assuntos económicos e eleitorais.
Lando David Pacheco teve um encontro de auscultação, segunda-feira, com as autoridades tradicionais das localidades, na sede municipal de Cangandala, onde se encontrava  em visita de trabalho.
De acordo com as autoridades tradicionais, na comuna de Caribo, parte oeste da sede municipal, existe apenas uma escola para 629 mil habitantes, enquanto o Bembo, localizado 85 quilómetros a sul da sede, com mais de 870 mil habitantes, na maioria mulheres e crianças, conta apenas com um posto sanitário de construção provisória, que funciona a “meio gás”. Kimbolo Domingos e Agostinho Pedro, autoridades tradicionais de aldeias na comuna do Bembo, foram unânimes em afirmar que o estado lastimável das vias não permite a efectivação das trocas comerciais.
O regedor do Bembo, António Rimba, lamentou a ausência quase permanente do administrador comunal e do seu adjunto.
O administrador municipal adjunto de Cangandala, Inocêncio João Kambongo, disse ao Jornal de Angola que o executivo local está a construir cinco postos médicos e programou a construção de 81 escolas de carácter definitivo, no âmbito do Fundo de Gestão Municipal.

Tempo

Multimédia