Províncias

Estradas reabilitadas facilitam escoamento agrícola

Venâncio Victor| Malange

O governador provincial de Malange, Boaventura Cardoso, efectuou, na semana passada, uma visita ao município de Kahombo, onde apresentou o novo administrador municipal e inaugurou as reabilitadas instalações da Administração Municipal.

Pormenor da sede municipal de Kahombo cujas principais vias de acesso foram recentemente terraplanadas
Fotografia: Eduardo Cunha

O governador provincial de Malange, Boaventura Cardoso, efectuou, na semana passada, uma visita ao município de Kahombo, onde apresentou o novo administrador municipal e inaugurou as reabilitadas instalações da Administração Municipal.
O governador visitou, igualmente, a ponte sobre o rio Lui, 210 quilómetros a Norte da sede provincial, que liga os municípios de Kahombo e Marimba.
A população local está satisfeita com os avanços que a região regista nos oitos anos de paz, nos mais diferentes sectores da vida social e económica.
O desenvolvimento social e económico de Kahombo não está limitado à reabilitação das estradas e pontes. As populações têm novas escolas e postos médicos, construídos e reabilitados com recursos do Fundo de Apoio à Gestão Municipal. 
Há poucos anos, a viagem da cidade de Malange para Kahombo levava dois dias. Agora, com o melhoramento das principais vias de comunicação, o percurso é feito em apenas três horas.
Para chegar a Kahombo, a partir da cidade de Malange, viaja-se por uma estrada de 160 quilómetros, recentemente terraplanada. A reconstrução de oito pontes, com destaque para as do Luinga e Lumono, no sector de Cambo Camana, facilitou a ligação com a sede provincial. O transporte de pessoas e bens faz-se agora em condições normais e com segurança. 
Kahombo tem uma população de 18.362 habitantes, maioritariamente camponeses. É uma região com forte potencial agrícola, com particular realce para o arroz e o algodão. O município é também rico em recursos minerais, com destaque para os diamantes.
A caça e a pesca artesanal, para além da agricultura, são as principais actividades da população.
O município de Kahombo é composto pelas comunas de Cambu Sunjinge, Bange à Ngola, Micanda e a sede municipal. Dispõe ainda dos sectores de Mulundo, Santa Comba e Cambo Camana. 
 
Sector da Educação

O Sector da Educação no município de Kahombo, de acordo com o seu responsável, Domingos Mauindo, tem como principal problema a falta de professores e escolas. “No presente ano lectivo estão matriculados cinco mil alunos da iniciação à nona classe. Temos 1.304 crianças em idade escolar fora do sistema de ensino por falta de professores”.
Domingos Mauindo acrescentou que o sector da Educação vai contar, a partir do próximo ano lectivo, com mais 35 professores admitidos no concurso público realizado este ano na província de Malange.
Domingos Maiundo informou que o município conta com apenas 120 professores, número manifestamente insuficiente. Para suprir as necessidades, são necessários 182 novos professores.
“Kahombo tem uma rede escolar composta por 97 escolas, 13 das quais foram construídas de raiz e as restantes são de carácter provisório”, explicou. 
Pelo menos 35 adultos beneficiam de aulas de alfabetização, ministradas por nove alfabetizadores.  
O sector da saúde, de acordo com o titular da pasta no município, Pinto Pereira, confronta-se com a falta de unidades sanitárias nos sectores de Santa Comba e Mulundo. “Kahombo dispõe de uma rede sanitária composta por apenas cinco postos de saúde, um hospital municipal e 22 técnicos de enfermagem”, informou Pinto Pereira.
O Hospital Municipal realizou, entre Janeiro e Julho deste ano, 8.904 consultas e registou o internamento de 268 doentes. No mesmo período foram realizados 31 partos. 
As autoridades sanitárias distribuíram 1.800 mosquiteiros impregnados. Durante a primeira fase da campanha de vacinação contra a poliomielite foram imunizadas 773 crianças até aos cinco anos.
As patologias que mais afectam os munícipes são o paludismo, as doenças respiratórias e as diarreias.
 
Agricultura melhora
 
O Sector da agricultura no município de Kahombo, de acordo com o chefe da Estação de Desenvolvimento Agrário (EDA), Francisco Quibonde, está a melhorar. “O escoamento dos produtos do campo está mais fácil, porque as estradas e pontes foram reconstruídas”.
Aos camponeses associados, referiu, foram distribuídas sementes e instrumentos de trabalho, num total de 3.000 enxadas e 600 catanas.
Aproveitando a presença do governador Boaventura Cardoso, os camponeses associados do município recomendaram o alargamento do prazo de reembolso do crédito de campanha.
O chefe municipal da Estação de Desenvolvimento Agrícola (EDA), Francisco Quibonde, explicou que os camponeses estão a ser sensibilizados com vista a receberem o crédito agrícola. Sublinhou que, numa primeira fase, o grupo técnico de acompanhamento local está a promover encontros de concertação e divulgação com os camponeses e regedorias de cada comuna, com vista a explicar os procedimentos e regulamentos de acesso ao crédito.
O crédito de campanha é uma iniciativa do Executivo, cujo valor máximo ronda os cinco mil dólares, a serem reembolsados num prazo de dez meses.
Francisco Quibonde revelou que, durante a campanha agrícola 2009/2010, os 3.128 camponeses inseridos em 103 associações, cultivaram 892 hectares de mandioca, 134 de ginguba, 28 de milho, 114 de feijão, sete de batata-doce, cinco de gergelim e dois de hortícolas.

Iluminação Pública 
 
A sede municipal conta, desde os finais de Setembro último, com iluminação pública através do sistema de energia solar. Foram instalados 120 painéis solares, ficando concluída a primeira fase do projecto de iluminação pública
O grande problema da população de Kahombo prende-se com a falta dos Serviços de Registo e Notariado e de emissão do Bilhete de Identidade. O governador provincial de Malange, Boaventura Cardoso, considerou a falta destes serviços como um problema conjuntural, e deixou a promessa de que estes e outros problemas vão ser solucionados.
Com o advento da paz, Kahombo começa a renascer dos escombros da guerra. Várias obras de impacto social, construídas no âmbito do Fundo de Apoio a Gestão Municipal, estão a mudar para melhor a imagem do município.

Tempo

Multimédia