Províncias

Estudantes de Caculama estão acampados no Quela

Estudantes do II ciclo do ensino secundário do município do Quela estão acampados desde sexta-feira  até hoje, no município de Caculama, para troca de experiências académicas e perspectivar o segundo semestre do ano lectivo em curso.

Os estudantes abordam durante três dias no acampamento conteúdos relacionados com as disciplinas de Língua Portuguesa, Matemática, Física, Química, Geografia e História de Angola, apurou a Angop.
O director da escola do II ciclo do município de Caculama, Inácio Cabedal Augusto, realçou a importância do intercâmbio, tendo em conta o início do segundo trimestre, o que vai permitir aos alunos refrescarem os seus conhecimentos e absorverem, com eficácia, os novos conteúdos transmitidos pelos professores.
Os estudantes mostram-se satisfeitos com a iniciativa e dizem estar a aprender muitas noções e matérias científicas ligadas às disciplinas em abordagem no acampamento.
“Esta é a melhor forma que se entrou  para nos preparmos, porque podemos com outros colegas discutirmos assuntos académicos e dissiparmos as nossas dúvidas”, disseram os estudantes.
Os estudantes vão desenvolver no acampamento várias actividades, como partida de futebol e visitas ao Hospital Municipal e à Administração Municipal de Caculama.O município de Caculama, que dista 55 quilómetros a leste da cidade de Malanje, ocupa uma extensão de 82 mil quilómetros quadrados, com uma população estimada em 29.037 habitantes.

Prevenção rodoviária


Estudantes e professores das escolas do segundo ciclo no município de Caculama foram esclarecidos sábado sobre a prevenção e segurança rodoviária, durante uma palestra promovida no âmbito de uma iniciativa do comando municipal da Polícia Nacional.
O sub-chefe da repartição municipal de Caculama da Viação e Trânsito, António Francisco Domingos, destacou a prevenção das causas dos acidentes, acatando o Código de Estrada e as orientações dos órgãos policiais.
No período de Janeiro ao mês em curso, o município registou 19 acidentes de viação que resultaram na morte de quatro cidadãos e ferimento de 15, bem como danos materiais avaliados em cerca de seis milhões de kwanzas, fruto do desrespeito das normas de trânsito.
António Francisco Domingos apelou aos condutores de motociclos e ciclo motores a fazerem-se sempre acompanhar da licença e carta de condução, livrete, bem como usarem o capacete.

Tempo

Multimédia