Províncias

Falta de verba impede assistência a veteranos deficientes

A falta de verba e de colaboração da direcção provincial dos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria está a condicionar o encaminhamento dos deficientes físicos para a sua reabilitação no Centro Ortopédico do Neves Bendinha, em Luanda.

A falta de verba e de colaboração da direcção provincial dos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria está a condicionar o encaminhamento dos deficientes físicos para a sua reabilitação no Centro Ortopédico do Neves Bendinha, em Luanda.
A informação foi avançada quinta-feira, na cidade de Malange, pelo director provincial da Associação Angolana dos Deficientes Físicos ex-militares (Ammiga), António Nicolau, durante uma conferência de imprensa realizada no âmbito das celebrações do 18º aniversário da criação da agremiação, assinalado no dia 2 de Setembro.
O responsável esclareceu que o governo da província é a entidade que tem disponibilizado verba para a reabilitação física dos deficientes, mas este ano não financiou “por alegada falta de montantes para o efeito”.
Segundo António Nicolau, a Ammiga celebrou um contrato com o hospital Neves Bendinha, ao abrigo do qual este deve reabilitar 15 deficientes anualmente, mas a sua concretização é inviabilizada devido à falta de verba para custear o transporte e acomodação dos mesmos.
A inexistência de um centro ortopédico em Malange obriga a que alguns deficientes físicos sejam obrigados a deslocar-se a Luanda, capital do país, ou à província do Huambo, por conta própria, para a aquisição de próteses.
Além disso, adiantou que um censo efectuado a nível do município sede da província de Malange identificou 180 deficientes físicos que necessitam de ser reabilitados, mas não dispõem de condições para tal. Outro problema apontado pelo director da Ammiga prende-se com o atraso do pagamento das pensões aos ex-militares, viúvas e órfãos. “Estamos a encetar contactos com a direcção provincial dos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria para ultrapassar a situação o mais rápido possível”, disse.

Tempo

Multimédia