Províncias

Formação para combate à doença

Venâncio Victor| Malange

Técnicos dos serviços de saúde estão a frequentar desde ontem e até ao próximo dia 21, em Malange, acções de formação para tratarem melhor os casos de malária. A qualificação abrange ainda o programa “Atenção Integrada às Doenças da Infância”.

Um paciente que padece de malária está a receber assistência médica e medicamentosa
Fotografia: Jornal de Angola

Técnicos dos serviços de saúde estão a frequentar desde ontem e até ao próximo dia 21, em Malange, acções de formação para tratarem melhor os casos de malária. A qualificação abrange ainda o programa “Atenção Integrada às Doenças da Infância”.
Os seminários, que decorrem no Hotel Kigima e nas salas de formação do Seminário Propedêutico Espiritano, são ministrados pela Empresa de Gestão e Administração em Saúde em colaboração com o Governo Provincial.
Na formação participam 40 profissionais da saúde dos quais 20 ligados aos serviços pediátricos e igual número de técnicos de saúde vocacionados para a gestão de casos de malária na província de Malange.
Uma nota de imprensa da Direcção Provincial de Saúde refere que a província de Malange contribui, com sete por cento, para o número de casos de malária diagnosticados no país, o que coloca a região do ponto de vista epidemiológico como “área de alta transmissão”.
O mesmo documento acrescenta ainda que, a malária constitui o maior problema de saúde pública em Angola, e estima que contribui com 35 por cento para a taxa de mortalidade infantil e em 25 por cento para a mortalidade materna.
O projecto Integrado da Malária (PMI), foi pela CONSAÚDE, em Malange, no ano de 2007, e consiste, na melhoria, e gestão de programas, diagnósticos, tratamento e prevenção da doença, através da participação das comunidades.

Tempo

Multimédia