Províncias

Gestão escolar em análise

Luísa Victoriano | Malange

O vice-governador da província de Malange para a área Política e Social disse, no primeiro encontro provincial sobre gestão escolar, que a qualidade de ensino na região é aceitável, embora esteja longe da desejável.

O encontro contou com a presença de directores e chefes de repartições municipais
Fotografia: Genivaldo da Fonseca | Malanje

Manuel Campo  recordou que a situação vivida no país antes da conquista da paz degradou o sistema de ensino ao ponto de muitas crianças atingirem o primeiro e segundo ciclos sem competências válidas.
O vice-governador referiu que “estas debilidades reveladas por muitos alunos” se deveram à pouca formação técnica dos professores e directores de escolas.
O encontro, salientou, destina-se a superar insuficiências dos gestores no processo de ensino e avaliar e redefinir acções que revertam ests quadro. O vice-governador disse que “as crianças nascem com capacidades inatas” e que “o insucesso escolar se deve fundamentalmente à má prestação de alguns profissionais do sector da Educação”. />Para inverter o quadro, declarou, é necessário maior esforço dos profissionais do sector para impedir que os alunos que não desenvolvam competências transitem de classe.
O vice-governador ilogiou a iniciativa da Direcção Provincial de Educação de promover iniciativas que estimulem os alunos que sobressaem.
O director provincial da Educação, Ciência e Tecnologia, Boaventura Gabriel, disse que o encontro tinha o objectivo de transmitir aos gestores das  escolas o Plano Estratégico de Educação 2014/2017. No encontro, promovido pela Direcção de Educação, Ciência e Tecnologia, em parceria com o Governo Provincial de Malanje, participaram directores e chefes  de repartições municiapis e comunais.

Tempo

Multimédia