Províncias

Governador elogia empreiteiras

Filipe Eduardo| Malanje

O governador de Malange, Norberto dos Santos “Kwata Kanawa”, encorajou na quinta-feira as empreiteiras que trabalham nas obras de construção na sede da capital, a continuarem com a mesma eficácia e dinamismo.

A província vai conhecer nos próximos dias melhorias uma vez que estão em marcha várias acções destinadas à recuperação das principais vias para permitir a livre circulação
Fotografia: Eduardo Cunha

Kwata Kanawa manifestou a sua satisfação pelo andamento das obras destinadas a dar uma nova imagem à cidade e reafirmou a importância das empresas de construção envidem todos os esforços para que os prazos estabelecidos com o Governo sejam rigorosamente cumpridos. O governador falava depois de ter visitado as obras que decorrem na via da estação de captação de água da Guiné, do Estádio 1º de Maio, pavilhão ocupacional do MAPESS, mercado municipal, da rua Governador Sila Carvalho e do pavilhão multiusos Valónia, que vai acolher a Taça “Zé Dú”.
Ao referir-se aos eventos nacionais e de carácter internacional que a província vai acolher a partir de Agosto, salientou a necessidade de se interagir mais com as empresas que estão a fazer as obras, no sentido de elas imprimirem mais velocidade aos trabalhos. Sobre a iluminação pública da cidade, uma situação que ainda constitui um problema para os munícipes, o governador  Norberto dos Santos “Kwata Kanawa” anunciou melhorias nos próximos dias, uma vez que estão em marcha várias acções destinadas à recuperação de todos os postos inoperacionais e a montagem de seis grupos geradores.
Além disso, está prevista a instalação de uma central térmica dentro dos próximos oito meses. Apesar de satisfeito com os trabalhos, confessou estar preocupado com o problema do reduzido abastecimento de água, cuja solução passa pela reparação de uma electrobomba. O governador pediu maior colaboração à Polícia Nacional, no sentido de se pôr ordem ao movimento dos motociclistas que circulam pela cidade, desrespeitando as regras de trânsito e de boa convivência. No entanto, fez questão de esclarecer que não é intenção do Governo proibir a circulação das famosas “cupapatas”, mas apenas ajudar a que a referida actividade de moto táxi esteja devidamente legalizada.

Tempo

Multimédia