Províncias

Governo aposta no saneamento ambiental

Filipe Eduardo| Malanje

O vice-governador de Malanje para a Área Técnica e Infra-estruturas disse que a qualidade do ambiente e a redução dos índices de mortalidade no país constituem as grandes preocupações do Executivo, daí a aposta em melhorar o saneamento básico, redes de drenagem, águas residuais e pluviais, sistemas de resíduos sólidos e aterros sanitários.

Autoridades estão empenhadas no combate ao lixo para evitar a propagação de doenças
Fotografia: Eduardo Pedro

Gabriel Pontes, que falava na abertura do primeiro seminário sobre Saneamento Ambiental, admitiu a necessidade da construção de novas infra-estruturas ambientais, no quadro no quadro do Plano Nacional de Desenvolvimento 2013-2017, no qual a população é a grande prioridade.
O vice-governador exortou os participantes no encontro a procurarem métodos mais viáveis para as soluções de algumas práticas incorrectas feitas por muitos cidadãos, como a deposição do lixo em locais impróprios.
"Penso que o encontro vai contribuir para a melhoria da qualidade sanitária e ecológica, assim como da vida da população", disse.
O assistente da Unidade Técnica Provincial do Saneamento Ambiental de Malanje, Genuíno Roque, disse que a nível da província são desenvolvidas acções de sensibilização e de formação, com vista a proporcionar uma qualidade ambiental aos populares.
As acções de sensibilização contra a defecação ao ar livre e a construção de latrinas são, segundo o responsável, também desenvolvidas em áreas recônditas. Nos municípios de Cangandala, Caculama e Cacuso mais de oito mil famílias já beneficiaram dos serviços ambientais, como a construção de latrinas.
“Estamos a sensibilizar as pessoas e ao mesmo tempo reforçar a capacidade de promoção para que possamos estabelecer um ambiente sadio. Outras acções estão igualmente em curso pelos técnicos que trabalham para a melhoria da qualidade ambiental na província", salientou. Durante dois dias, o seminário abordou, entre outros temas, a a­plicação do programa de saneamento total, liderado pela comunidade e escolas, e papel da municipalização dos serviços de saúde na promoção do saneamento ambiental.
O projecto de Saneamento Ambiental e as Certificações de Aldeias sem defecação ao ar livre que decorre nas províncias de Malanje, Uíge, Benguela e outras é desenvolvido pelo Ministério do Ambiente e financiado pela União Europeia.

Tempo

Multimédia