Províncias

Governo distribui primeiros lotes de terreno

Luísa Victoriano| Malange

O governo da província de Malange começou, na quarta-feira, a distribuir os títulos dos primeiros lotes de terreno da reserva fundiária do Estado, localizada no bairro da Catepa, aos cidadãos que requereram.

A concessão de lotes de terreno está a facilitar a construção de mais casas principalmente para a juventude
Fotografia: Dombele Bernardo

 

O governo da província de Malange começou, na quarta-feira, a distribuir os títulos dos primeiros lotes de terreno da reserva fundiária do Estado, localizada no bairro da Catepa, aos cidadãos que requereram.
A cerimónia oficial de entrega de parcelas de terreno foi presidida pelo governador provincial, Boaventura da Silva Cardoso, depois de uma visita de campo efectuada às reservas fundiárias, localizadas nos bairros da Catepa e Carreira de Tiro.
O governante disse, na ocasião, que numa primeira fase, o executivo local vai proceder à distribuição de 400 lotes de terreno. Prevê até ao final do ano, e de forma faseada, a concessão de um total de 1600 lotes.
Segundo o governante, o local está dividido em lotes A, B e C, onde se vai proceder a construção dirigida de habitações de baixa e média rendas, edifícios, criação de espaços de lazer, escolas, postos de saúde e supermercados.
Para os cidadãos que não foram contemplados nesta primeira fase, apelou-os no sentido de actualizarem os seus requerimentos, para que nas próximas fases sejam atendidos conforme as normas estabelecidas.
“Vão ter prioridade as viúvas, os veteranos de guerra e outras camadas da sociedade, no âmbito do Programa de Urbanismo e Habitação Nacional”, sublinhou o governador provincial, Boaventura da Silva Cardoso.
Explicou existirem na província de Malange terrenos suficientes para conceder a todos que solicitarem junto das administrações locais. “Temos terrenos nas reservas fundiárias da Carreira de Tiro, Catepa e da Cangambo”, garantiu o governador de Malange.
Quanto ao perímetro da Carreira de Tiro, revelou que dos 300 hectares existentes já foram desminados pelos efectivos do Instituto Nacional de Desminagem (INAD) e a brigada das Forças Armadas Angolanas (FAA).
O Jornal de Angola soube, no local, que Administração municipal de Malange recebeu dois mil pedidos para concessão de terrenos.

Munícipes satisfeitos

Os cidadãos que beneficiaram de lotes de terrenos, numa primeira fase, mostraram-se satisfeitos com a iniciativa do governo de Malange. O munícipe José Manuel, 45 anos, visivelmente, satisfeito, disse que “a partir de agora vai reunir os recursos necessários para construir a sua casa própria”. Apelou ao governo local de maneira a prosseguir com as mesmas acções, para ajudar os cidadãos na aquisição de casa própria.
Para o cidadão João Daniel, as parcelas de terra distribuídas vão minimizar as dificuldades que muitos munícipes atravessam, particularmente, a camada jovem.
Reconheceu que “muitos auferem salário magro e não estão, financeiramente, capacitados para adquirirem terrenos para a construção de casa própria”.

Tempo

Multimédia