Províncias

Governo investe em novos equipamentos na província

Francisco Curihingana | Malanje

Os participantes à conferência provincial sobre acção social recomendaram a ampliação da rede de educação da primeira infância e maior investimento em novos equipamentos nas estruturas existentes na província.

Secretário de Estado da Assistência e Reinserção Social à direira orientou os trabalhos da conferência sobre acção social
Fotografia: Ilidio Serdeira | Edições Novembro-Malanje

A recomendação saiu da conferência realizada na terça-feira, na cidade de Malanje, sob o lema “Acção social, prevenção, protecção e promoção”.  Durante o  evento, orientado pelo secretário de Estado da Assistência e Reinserção Socia, Lúcio Amaral, os conferencistas defenderam a necessidade de os municípios promoverem concursos públicos para o provimento do pessoal para permitir a funcionalidade dos respectivos equipamentos sociais, assim como dedicar uma atenção especial as instituições que albergam pessoas idosas, carentes e sem amparo familiar.
Em Malanje, existem 13 Centros Integrados Comunitários “CICCEC”, para o atendimento à primeira infância, nos municípios sede da província e Cangandala, e dois centros infantis privados que acolhe cada 80 crianças de ambos os sexos.
Os participantes ao encontro solicitaram o envolvimento de uma acção mais coordenada, concentrada e articulada entre os diferentes actores sociais, enquanto factor fundamental para promover o desenvolvimento sustentável e combater a pobreza e vulnerabilidade social no seio das comunidades. Neste particular, o Executivo deve criar um fundo de desemprego e investir na capacidade produtiva das famílias.
A conferência provincial sobre a accção social informou que a Acção para o Desenvolvimento Rural- ADRA-Antena Malanje tem desenvolvido  acções de apoio a 81 associações, tendo beneficiado um universo de 15.497 famílias e a assistência a 15 cantinas com actividades não agrícolas, que favoreceu 798 famílias.
Os participantes à conferência foram ainda informados da importância do cadastro social único, como ferramenta estratégica de recolha e de gestão de informação estatística sobre a protecção social de base, que visa a integração das iniciativas sectoriais de promoção da inclusão social dos cidadãos mais vulneráveis.
Nesta conformidade, foram destacadas as acções sociais do Governo da Província de Malanje para a reintegração e inclusão social.
O general Lúcio Amaral disse que a Angola de hoje perspectiva o futuro num clima de paz e de coesão social e na resolução dos problemas que afectam as famílias mais vulneráveis, afirmando que o mesmo assenta  em acções de programas sociais virados em três pilares fundamentais de protecção social de base:  prevenção,  protecção e ­promoção.
“A dimensão humana e social tem de estar em primeiro plano no programa nacional de desenvolvimento” preciso.
O vice-governador para o sector Político e Social, Manuel Campo, disse que as conferências a nível nacional representam um espaço privilegiado que permite debater de forma profunda e realística os métodos de articulação e concertação.
Manuel Campo exortou os participantes para a necessidade de reflectirem de forma profunda sobre as modalidades de articulação e concertação, entre as administrações municipais e a Direcção Provincial da Assistência e Reinserção Social, relativamente à implementação dos projectos e programas que visam atender às necessidades dos grupos vulneráveis.
Participaram na conferência membros do governo provincial, das Forças Armadas e da Polícia Nacional, administradores municipais, entidades religiosas, tradicionais e organizações da sociedade civil.

Tempo

Multimédia