Províncias

Governo realiza primeiro encontro de balanço

Francisco Curingana | Malange

Os 14 municípios da província de Malange começam a mudar de imagem, fruto da implementação do Programa Municipal Integrado e de Desenvolvimento Rural e Combate à Pobreza, para o qual foram disponibilizados consideráveis recursos financeiros.

Coordenador do projecto David da Silva
Fotografia: Genivaldo Fonseca | Malange

Os 14 municípios da província de Malange começam a mudar de imagem, fruto da implementação do Programa Municipal Integrado e de Desenvolvimento Rural e Combate à Pobreza, para o qual foram disponibilizados consideráveis recursos financeiros.
Para avaliar a sua aplicação e possíveis correcções, o governo da província de Malange realiza em breve, no Instituto Médio Agrário do Quésua, o primeiro encontro de balanço do referido programa, reunindo os administradores municipais, directores provinciais e outros convidados.
O coordenador provincial da Unidade Técnica de Combate à Pobreza, David Dias da Silva, disse que o mesmo já beneficiou cerca de 300 mil pessoas e permitiu, por outro lado, a inserção de 8.200 crianças no sistema de ensino, com a construção de 138 salas e a reabilitação de outras 55, para 3.300 alunos que estudavam em condições precárias.
O investimento realizado a nível dos serviços municipalizados da saúde, explicou David da Silva, tornou possível a aproximação de um maior número de pessoas aos serviços de saúde, com a construção de 42 unidades sanitárias, 45 residências para médicos e enfermeiros e a aquisição de 12 ambulâncias e 65 motorizadas.
David Dias da Silva referiu que a execução financeira dos projectos integrados no programa de combate à pobreza se situou, em 2011, à volta dos 85 por cento
O programa “Água para todos” teve um cumprimento na ordem dos 71 por cento, enquanto os estudos, projectos e cuidados primários da saúde tiveram um registo de 65 e 60 por cento.
David da Silva acrescentou que apenas a verba do Programa de Merenda Escolar foi executada na totalidade. Quanto ao reforço institucional nos municípios de Massango, Malange, Cangandala, Cambundi-Catembo, Calandula, Cahombo, Luquembo e Quela foram erguidas palácios, bem como adquiridas viaturas para apoio às administrações comunais, bem como ambulâncias.
Além de palácios municipais foram, igualmente, reabilitadas as administrações e construídos postos policiais, casas para funcionários e jangos comunitários.

Ensino e saúde

 
Na sede municipal de Massango e nas aldeias de Ginga Muinga, Zenza e Thua-Cambo foram construídas cinco escolas, num total de 18 salas, enquanto nas comunas de Quihuhu e Quinguengue duas salas foram também reabilitadas.
O município de Marimba viu serem construídas três escolas, com um total de 12 salas, acções que se estenderam a Malange e Cangandala, que beneficiaram de inúmeros kits escolares. As quatro escolas construídas no município de Cambundi-Catembo, num total de 19 salas, a reabilitação de três escolas no município de Calandula, bem como a recuperação de 11 salas na sede municipal, a construção de três residências, sendo uma na sede comunal do Kuale e duas na sede municipal, e a reabilitação de outras três residências para funcionários na comuna do Cateco-Cangola e quatro na comuna do Cota para funcionários, completam o quadro. No município de Cahombo, além da construção e apetrechamento de uma escola com seis salas, no sector do Cambo Camana, foram reabilitadas, ampliadas e apetrechadas três escolas nas localidades do Ulo, Cazumbi e Quengês. Os municípios de Cacuso, Caculama, Quela, Cunda-dia-Base e Quirima beneficiaram de escolas e residências para os professores. No âmbito da descentralização dos serviços municipalizados da Saúde, o município de Massango beneficiou de um hospital, além de um posto médico pré-fabricado e dois outros nas comunas do Quihuhu e Quinguengue.
Em Marimba, foram construídas duas residências T3 para enfermeiros na sede do município, a reabilitação e apetrechamento de uma residência no sector de Xiquita para técnicos da saúde, bem como medicamentos diversos, arcas para conservação das vacinas, materiais gastáveis, uma ambulância e seis motorizadas, ao passo que no município de Malange, foi construído e apetrechado um posto de saúde e uma casa para médicos e enfermeiros no sector do Quissol e dois postos de saúde nos bairros da Catepa e Carreira de Tiro.
No município de Calandula, o realce vai para a construção de postos médicos no sector de Mbango a Zenze e na comuna do Cateco Cangola, além de um centro materno-infantil na sede municipal. Foram também reabilitados dois postos de saúde e duas residências na sede municipal para os médicos e enfermeiros.
Os municípios de Cangandala, Cahombo, Cacuso, Caculama, Luquembo e Quela beneficiaram de intervenções, com a construção e apetrechamento de postos médicos e residências, e a recepção de ambulâncias.
 
Água para todos e energia rural
 
David Dias da Silva disse que o governo provincial de Malange estabeleceu como meta o fornecimento de água potável a 446.350 habitantes do meio rural até Dezembro de 2012.
Até Setembro de 2011, o programa “Água para Todos” tinha chegado a 134.798 habitantes, abaixo dos 258.883 previstos até Dezembro do ano passado, disse o coordenador provincial da Unidade Técnica de Combate à Pobreza.  Os municípios de Massango, Malange, Kambundi-katembo, Kalandula, Cacuso, Caculama, Quela, Ciuaba-Nzogi e Cunda-dia- Base beneficiaram de furos, chafarizes e sistemas voltaicos de painéis e placas solares para as distintas repartições e postos de saúde. Foram também adquiridos grupos geradores para essas localidades.
Para o município de Quirima, foram adquiridas 180 placas solares para a sede municipal e comunal do Sautar, ao passo que em Cambundi-Catembo foram instalados 170 postos de electricidade pública na sede municipal, que beneficiaram 2.500 habitantes.
Para o município de Massango ,foram adquiridos 140 painéis solares e um grupo gerador que vai garantir a corrente elétrica, ao passo que, para Marimba, as autoridades da  província adquiriram dois grupos geradores para a sede do município, além da instalação de um sistema fotovoltaico para a residência dos enfermeiros, posto médico, escola e jango comunitário.

Tempo

Multimédia