Províncias

Hospitais melhor servidos em termos de medicamentos

Eduardo Cunha e Venâncio Victor | Malanje

Um total de 20 toneladas de medicamento diversos e material gastável foi entregue ao Hospital Regional e  Materno Infantil de Malanje pela empresa privada Jodgás, com vista a minimizar a carência em fármacos que as unidades sanitárias enfrentam.

Fotografia: JAimagens

O responsável da empresa privada Jodgás, João Diogo Gaspar, disse que a iniciativa faz parte de um programa da quadra festiva, referindo que, além da quantidade de medicamentos e de material gastável, foram entregues também ao Hospital Regional e Materno Infantil 350 lençóis.
Segundo João Diogo Gaspar, pretendeu-se com a iniciativa ajudar as unidades sanitárias  em termos de fármacos, tendo em conta as ocorrências que surgem, sobretudo neste período de festas. Sublinhou que no passado a empresa se limitava a oferecer brindes de Natal em solidariedade aos doentes internados, mas este ano preferiu fazer o contrário.
“Demos este apoio em função das visitas efectuadas e das solicitações que foram sendo colocadas por responsáveis  dos hospitais em referência. Levámos este aspecto em consideração e achamos ser este o melhor momento para contribuirmos com o pouco que temos”, sustentou. Na óptica do empresário, a festa natalina é bem celebrada quando as pessoas gozam de boa saúde, de contrário, torna-se dificil, daí que se  decidiu dar um maior apoio e não apenas um brinde aos pacientes internados.
“Não viemos apoiar o hospital, mas sim ajudar as pessoas que estão aqui internadas. É uma forma que se encontrou para facilitar a vida dos profissionais que trabalham na unidade sanitária, fazendo com que  os pacientes recuperem o mais rápido possíve e voltar ao convívio das suas famílias”, disse.
Os bancos de Urgência de Ortopedia e Medicina do Hospital Regional de Malanje registaram, durante a festa de Natal, 29 ocorrências, menos dois em relação a igual período anterior.
A informação foi avançada pelo director clínico daquela unidade hospitalar, Jacob Nlevo, que disse que os casos registados provocaramo internamento de quatro pessoas.
Dos casos que deram entrada na unidade hospital, constam quatro por acidentes de viação, oito por agressão física, um por queimadura e nenhum óbito.
 Jacob Nlevo lamentou a afluência de vários casos que deram entrada nos dois bancos, situação que pode ser evitada caso as famílias acatem determinados conselhos.

Tempo

Multimédia