Províncias

Hospital precisa de serviços de ortopedia

Venâncio Victor | Malanje

O Hospital Municipal de Cangandala continua a enfrentar grandes dificuldades para assistir pacientes com traumatismos diversos, por ausência de serviços de ortopedia, numa altura em que a unidade recebe muitos casos de acidentes de viação, lamentou sábado o chefe de repartição da Saúde.

Acções permitem conter o paludismo considerado uma das principais causas de morte no município de Cangadala em Malanje
Fotografia: Genivaldo Fonseca

Gaspar Lourenço referiu que a unidade, a par da falta de serviços de ortopedia, também não dispõe de um bloco de pediatria.
O Hospital Municipal de Cangandala, com capacidade para 30 camas, possui os serviços de Raio X, hemagiologia, oftalmologia, medicina e pediatria.
Outra preocupação das autoridades sanitárias municipais tem a ver com a carência de médicos, enfermeiros, pessoal de diagnóstico e auxiliares. A rede sanitária é assegurada por 63 técnicos de saúde, dos quais 11 médicos.
Com oito unidades sanitárias, os serviços de assistência médica e medicamentosa atendem por dia mais de 100 pessoas, só em consultas externas, com o Hospital Municipal a receber o maior número destes pacientes.
Apesar da procura de doentes, o chefe de repartição garantiu que a municipalidade não tem tido problemas com o stock de medicamentos, uma vez que a instituição conta com apoios, no âmbito dos cuidados primários de saúde, da Administração Municipal de Cangandala  e da Direcção Provincial do sector.
Para travar o paludismo, realizam-se várias acções, com destaque para a distribuição de mais de 16 mil mosquiteiros impregnados com insecticida e a presença na região de uma equipa de luta anti-larval. />As autoridades administrativas realizam outras actividades de prevenção de doenças. Neste âmbito, foi lançada a última fase da campanha de vacinação contra a poliomielite, que abrangeu mais de 16 mil crianças dos zero aos cinco anos. Para o êxito da campanha, foram disponi  bilizadas 19.500 doses de vacina para a circunscrição de Cangandala.
Na operação trabalharam 35 equipas de vacinadores e dez mobilizadores, que passaram de casa em casa para administrar a gota de combate à poliomielite.

Doação de sangue

Um grupo de 80 alunos finalistas da escola do II ciclo do ensino secundário “Palanca Negra", em Cangandala, doou sangue ao Hospital Municipal.
O coordenador das actividades extra-escolares da repartição municipal da Educação, Manuel João, adiantou que a iniciativa se enquadra nas comemorações do Dia do Educador, assinalado sábado.
Os alunos dos cursos de Ciências Humanas, Físicas e Biológicas doaram ainda ao hospital bens municipal alimentares de primeira necessidade.
A administradora municipal de Cangandala, Rosa Lourenço, louvou a iniciativa do sector da Educação, tendo felicitado os estudantes e os professores pelo gesto, que surgiu numa altura em que a unidade hospitalar se debate com falta de sangue.

Tempo

Multimédia