Províncias

Igreja Católica doa bens para refugiados da RDC

Eduardo Cunha e Venâncio Víctor | Malanje

A Pastoral Arquidiocesana de Malanje realiza a partir de amanhã uma campanha solidária de recolha de donativos, para apoiar os 30 mil refugiados oriundos da República Democrática do Congo instalados na província da Lunda Norte, anunciou o arcebispo local.

Fiéis da Igreja Católica começam amanhã a doar bens essenciais para apoiar os refugiados
Fotografia: Joaquim Aguiar | Edições Novembro

D. Benedito Roberto avançou que a campanha, que deve decorrer até finais de Junho, prevê a distribuição de bens não perecíveis, alimentares e roupa. Os bens devem ser recolhidos na arquidiocese local e nalgumas paróquias.
O arcebispo da Arquidiocese de Malanje lamentou os tristes episódios por que passam os refugiados da RDC no seu dia-a-dia. “Temos estado a acompanhar, por via dos órgãos de comunicação social, as notícias e imagens terríveis de homens, mulheres, jovens e crianças que emigraram da localidade de Cassai, na vizinha República do Congo Democrático”, disse. D. Benedito Roberto disse que a igreja não poderia estar indiferente à dor e ao sofrimento dos cidadãos congoleses, porque, apesar de serem estrangeiros, são também irmãos em Cristo.
O prelado elogiou o esforço do Governo angolano, da comunidade internacional e de pessoas singulares de diversas partes do mundo na prestação de apoios aos refugiados. Apesar da carência económica, que afecta a maioria dos angolanos, convidou os sacerdotes, responsáveis das paróquias, alunos das escolas católicas e fiéis enquadrados nos movimentos cristãos a juntarem-se a esta causa solidária.
Dom Benedito apelou à população de Malanje e de todas as paróquias da arquidiocese para seguirem o exemplo demonstrado aquando da seca registada há uns anos na província do Cunene.

Tempo

Multimédia