Províncias

Índices de pobreza são acentuados

Venâncio Victor | Malange

O governador de Malange, Boaventura Cardoso, considerou na quarta-feira como extrema a pobreza no seio da população do município do Quela, a Leste da capital da província.

Uma vista da sede municipal do Quela onde faltam postos médicos e escolas
Fotografia: Eduardo Cunha|Quela

O governador de Malange, Boaventura Cardoso, considerou na quarta-feira como extrema a pobreza no seio da população do município do Quela, a Leste da capital da província.
Durante um encontro que manteve com as autoridades tradicionais locais, Boaventura Cardoso afirmou que a situação é crítica, uma vez que ainda é notória a falta de postos médicos e de escolas nas comunas de Moma e da Missão dos Bângalas, a 50 quilómetros da sede municipal do Quela, cujas vias de acesso estão degradadas.
“Temos informações de que é extrema a pobreza no município do Quela, principalmente nestas duas comunas, em que as vias de acesso não apresentam condições de circulação”, lamentou.
O governador disse que apesar destes e outros problemas por que passam os habitantes do Quela, já são visíveis os esforços do governo na melhoria e aumento dos principais serviços sociais básicos e no combate à fome e à pobreza nesta circunscrição territorial.
 A título de exemplo, referiu que, na sede municipal, estão em construção várias infra-estruturas de impacto social e que vão contribuir para o desenvolvimento da região.
Anunciou que, no âmbito do Programa de Investimentos Públicos (PIP), vão ser construídos e apetrechados os postos médicos nas localidades de Cagia e Camavo, comuna de Xandel, e a edificação de três salas de aula no Banda e igual número na sede municipal.
Além disso, está em estudo a construção de um memorial e de um bairro social na localidade do Teka-Dia-Kinda, em homenagem aos mártires da repressão colonial. 
No âmbito do Programa Municipal de Desenvolvimento Rural e Combate à Fome e à Pobreza, está prevista a implementação na região do programa “Água para Todos”, intensificação do comércio rural, disponibilização do crédito agrícola e de acções de desminagem, esclareceu o governador. No Quela, Boaventura Cardoso realizou visitas às obras de ampliação do hospital local, com capacidade para 40 camas, e visitou as obras do palácio e das instalações da administração municipal, que se encontram na sua fase derradeira.
 Deslocou-se ainda às obras do comando municipal da Polícia Nacional e de uma escola do ensino primário, que vai acolher 400 alunos no próximo ano lectivo.
O município do Quela integra a vasta região da Baixa de Cassange e possui uma população estimada em 15 mil habitantes, que têm a agricultura como principal fonte de sobrevivência. A sua superfície territorial é de 5.830 quilómetros quadrados.

Tempo

Multimédia