Províncias

Jovens recebem formação sobre manutenção

Adriano Sapalo | Malanje

Ao todo, 90 jovens beneficiam, desde a semana finda, em Malanje, de um programa de formação técnica sobre operação e manutenção da central hidroeléctrica de Laúca.

Barragem de Laúca melhora funcionamento
Fotografia: João Gomes

A acção formativa, promovida pela Empresa Pública de Produção de Eletricidade (Prodel), com a duração de um ano e seis meses, vai ministrar matérias relacionadas à sustentabilidade, segurança do trabalho, desenvolvimento de competências, noções sobre o funcionamento de uma hidroelétrica e do sistema eléctrico de Angola, entre outras.
A formação vai ser subdividida em quatro módulos. O primeiro vai abordar temáticas relativas à segurança do trabalho, meio ambiente, legislação laboral, sistema eléctrico de  Angola e conhecimentos gerais sobre electricidade.
No segundo módulo, que começa em Dezembro do ano em curso, os participantes vão aprimorar conhecimentos de matemática, física, mecânica e engenharia civil, devendo o evento contar com a colaboração do Instituto Médio Industrial de Luanda (IMIL).
Já o terceiro módulo, que vai de Janeiro a Fevereiro do próximo ano, vai abordar matérias que têm a ver com os equipamentos empregues no  sistema hidroelectrico de Laúca, enquanto o quarto módulo consiste em actividades práticas, através de actividades de rotina e manutenção associadas às acções de simulação e práticas de laboratório.
O director da empresa  Odebrech, uma das executoras do projecto, Miguel Figueiredo, disse que a formação vai dotar os participantes  de ferramentas indispensáveis. De acordo com Miguel Figueiredo, a acção formativa é de carácter permanente e visa, de um modo geral, treinar, requalificar e reciclar os quadros daquela imponente obra de engenharia do país.
O centro de formação, acrescentou, vai contar com a instalação de laboratórios eléctromecânicos, equipados com sistemas digitais, que, por sua vez, vão substituir os equipamentos analógicos, onde os formandos vão ter a oportunidade de fazer treinos práticos.
A directora dos Recursos Humanos da Prodel, Teresa Correia, destacou os investimentos que o Executivo tem feito em diversas áreas, com realce para  os sectores da Energia, Saúde e Educação.

Produção de algodão

A produção de algodão em Lukinje, no município de Calandula, vai ser relançada no final deste mês, anunciou o governador provincial de Malanje, Norberto dos Santos.
O governador, que falava no termo de uma visita à localidade, referiu que os níveis de produção agrícola em Lukinje têm aumentado significativamente, mas destacou a necessidade do cultivo de algodão, para fornecer a indústria têxtil nacional. Norberto dos Santos lamentou o facto de o país estar ainda a importar algodão, quando existem condições para a produção local. O responsável apelou à população para colaborar com o Governo nesse sentido.
Na oportunidade, o governador entregou bens de primeira necessidade à população, com destaque para arroz, óleo, massa alimentar, sal, peixe seco, sabão, açúcar, conservas, além de enxadas, catanas, roupa usada e motorizadas de três rodas.
Apesar dos avanços da agricultura, o mau estado das vias de acesso a Lukinje, a cerca de 265 quilómetros a Norte da capital de Malanje, dificulta o escoamento dos produtos do campo. O governador Norberto dos Santos disse que, “logo que hajam condições para reparar as estradas, o Governo vai traçar estratégias para inverter o actual quadro”.
O regedor de Lukinje, Gaspar Cassacala “Miluanga”, agradeceu a iniciativa do Governo, salientando que os bens recebidos vão ajudar a minimizar algumas dificuldades, mas defendeu a necessidade da reabilitação urgente das vias rodoviárias. O regedor salientou ainda que o Lukinje tem enfrentado carências a nível da Educação, Saúde e comunicações telefónicas e tem necessidade de vigilância policial.
O regedor afirmou que o número de jovens fora do ensino atinge mais de 90 por cento, numa altura em que este grupo social dedica mais tempo à agricultura, com destaque para  o cultivo de mandioca, ginguba, cana-de-açúcar, milho, batata-doce, feijão e laranja.

Tempo

Multimédia