Províncias

Kambundi Katembo precisa de professores

Venâncio Victor| Malange

O sector da Educação no município de Kambundi Katembo necessita de 90 professores, para reforçar o processo de ensino e aprendizagem na região, disse, na quinta-feira, ao Jornal de Angola, o chefe de Repartição Municipal da Educação.

Autoridades querem inserir todas as crianças no sistema de ensino
Fotografia: Jornal de Angola

O sector da Educação no município de Kambundi Katembo necessita de 90 professores, para reforçar o processo de ensino e aprendizagem na região, disse, na quinta-feira, ao Jornal de Angola, o chefe de Repartição Municipal da Educação.
Afonso António afirmou que no presente ano lectivo estão matriculados 14 mil alunos, da iniciação à 9ª classe, e que há 4.050 crianças em idade escolar estão fora do sistema devido à falta de professores e de salas de aula.
O município dispõe apenas de 257 professores, referiu, frisando que o número é irrisório face as necessidades.  Para inverter o quadro, declarou, são necessários, no mínimo, mais 90 professores. No próximo ano lectivo, o município vai dispor de mais 66, admitidos por concurso público. Kambundi Katembo tem 19 escolas, 16 das quais de construção definitiva, algumas delas a necessitarem de obras.  Afonso António disse que foram construídas escolas nas quatro comunas do município, Dumba Cabango, Tala Mungongo, Quitapa e sede.

Alfabetização e ensino médio

Ao todo, 602 adultos frequentam, em Kambundi Katembo, aulas de alfabetização, disse Afonso António.
O ensino médio é outra das prioridades da administração municipal, como realçou, no sábado, o primeiro secretário do MPLA em Malange, Boaventura Cardoso, durante um acto político de massas. Com a implementação do ensino médio, lembrou, os alunos que terminam o I Ciclo deixam de ter de continuar os estudos na cidade de Malange.

Mais  crianças vão  estudar no município de Bolongongo

O município de Bolongongo, no Kwanza-Norte, conta, desde meados de Setembro, com 58 novos professores, cuja actividade vai permitir o ingresso na escola, no próximo ano lectivo, de mais de duas mil crianças, que se encontram fora do sistema normal de ensino.
Falando na quinta-feira à Angop, na vila de Bolongongo, o responsável local do ensino geral, Domingos Cabuqui Panzo, adiantou que os novos docentes ingressaram no quadro de pessoal da educação, no âmbito de um concurso público, o que permitiu o recrutamento de mais de 800 novos professores para o sector.
Os recém ingressados, afirmou, juntam-se a 156 outros docentes do município e vão ministrar aulas no ensino primário e primeiro ciclo do ensino secundário, após terem sido submetidos, em Agosto de 2009, em Ndalatando, a um seminário de formação pedagógica, baseado nos critérios do sistema de reforma educativa, em implementação em Angola.
Domingos Cabuqui Panzo pediu aos novos funcionários para cumprirem com zelo e dedicação as suas funções na região, de modo a contribuírem na luta contra o analfabetismo e no processo de desenvolvimento do país. O município de Bolongongo, cuja sede se localiza a 150 quilómetros de Ndalatando, conta com 23 escolas em funcionamento. No presente ano lectivo, leccionam ali 111 professores.

* Com Angop

Tempo

Multimédia