Províncias

Kiwaba Nzoje necessita de médicos e parteiras

A falta de pelo menos três médicos das especialidades de pediatria, medicina geral, ginecologia e obstetrícia, parteiras profissionais e enfermeiros tem dificultado as consultas e tratamentos de alguns pacientes que acorrem à unidade hospital municipal de Kiwaba-Nzoje.

Parteiras depois de um seminário de refrescamento numa das províncias do país onde aprenderam novas técnicas
Fotografia: Jornal de Angola

A falta de pelo menos três médicos das especialidades de pediatria, medicina geral, ginecologia e obstetrícia, parteiras profissionais e enfermeiros tem dificultado as consultas e tratamentos de alguns pacientes que acorrem à unidade hospital municipal de Kiwaba-Nzoje.
O chefe de repartição municipal de saúde, Alberto Paulo, disse à Angop que a falta de parteiras profissionais tem originado mais partos domiciliares do que hospitalares, facto que preocupa os responsáveis sanitários, tendo em conta que as parturientes só aparecem no estabelecimento quando o parto está complicado, sendo posteriormente evacuadas para a maternidade provincial. Por outro lado, existe ainda um preconceito por parte destas mulheres em serem assistidas por homens.
Entre Janeiro e Junho deste ano, o hospital municipal registou 163 partos, dos quais 31 hospitalares e 132 realizados por parteiras tradicionais nas comunidades, tendo sido registados quatro nados mortos, 159 vivos e oito abortos. De acordo com o responsável, a unidade sanitária assistiu, durante o período em referência, 2.151 doentes, que fizeram consultas externas e, deste número, 320 foram internados nas duas salas existentes com 30 camas.
Apontou a malária, com 5.051 casos, doenças respiratórias agudas, 1.982, parasitose intestinal, 523, doenças diarreicas agudas, com 444, infecções dérmicas, 395 casos, conjuntivite, 376, traumatismos, 221, doenças de transmissão sexual (gonorreia), com 21 casos, sistosomiases 22, e anemia, com 21 casos, como sendo as patologias mais frequentes na municipalidade.
Quanto aos medicamentos, revelou não ser preocupação na região, porque existem em número suficiente para atender às necessidades.
Com apenas 17 enfermeiros, dos quais 12 técnicos básicos e cinco médios, distribuídos pelas oito unidades sanitárias da região, a unidade dispõe de uma ambulância, que tem transportado os doentes graves das comunidades para a sede municipal e para o hospital geral de Malange.
O município de Kiwaba-Nzoje possui uma superfície de 3.019 quilómetros quadrados, com apenas a comuna de Mufuma. Conta actualmente com uma população estimada em 10.630 habitantes, maioritariamente camponesa.

Tempo

Multimédia