Províncias

Kunda dia Base está a mudar de imagem

Francisco Curihingana Malange

O município de Kunda dia Base apresenta hoje uma nova imagem, com o surgimento e reabilitação de várias infra-estruturas sociais e económicas.

Autoridades locais desenvolvem esforços para melhorar os acessos que ajudem a materialização a vários projectos sociais
Fotografia: António Pereira|Bengo

O município de Kunda dia Base apresenta hoje uma nova imagem, com o surgimento e reabilitação de várias infra-estruturas sociais e económicas.
No âmbito do Programa de Combate à Pobreza e Desenvolvimento Rural, a administração municipal construiu e reabilitou uma série de casas para quadros de saúde, professores e outros sectores.
Com estas obras, a falta de residências para acomodação de quadros deixou de ser um problema a nível do município.
O município nunca foi abastecido de água canalizada, desde o tempo colonial, até agora, graças à acção das autoridades administrativas, a­través do Programa de Investimentos Públicos (PIP), que instalaram um sistema de captação e distribuição.
A par destas obras, que foram inauguradas em cerimónias em que estiveram presentes o governador de Malange, Boaventura Cardoso, e  coordenador do grupo de acompanhamento do bureau político do MPLA para aquela província, Norberto dos Santos “Kwata Kanawa”, o município passa a contar com um novo edifício para a administração, construído de raiz.
Foram ainda inauguradas a residência da administradora municipal, casas de médicos e enfermeiros e dos quadros da administração local, além do edifício da repartição dos registos e identificação, e de um centro infantil comunitário.
A administradora municipal, Joana André, disse que Kunda dia Base começa agora a ganhar vida. “Quem viu esta localidade antes, dá imediatamente conta que ela não é a mesma. Houve muitos progressos”, salientou.

Sinais de desenvolvimento

Apesar dos avanços que a municipalidade está a conhecer, Joana André disse que as comunas do Milando e Lemba ainda não registam muitos sinais de desenvolvimento, uma consequência da degradação acentuada das vias de circulação. No entanto, as autoridades estão a desenvolver esforços no sentido de os acessos serem melhorados, para que as acções de intervenção a nível das referidas comunas sejam possíveis.
A administradora municipal garantiu que Kunda dia Base não tem crianças fora do sistema normal de ensino.
Este progresso foi possível graças à construção de novas salas, que permitiram enquadrar as crianças que não estudavam e as que frequentavam aulas em locais impróprios.
Boa parte da população pratica agricultura de sobrevivência, um sector que anda a meio gás, como referiu a administradora. A falta de acessos para escoamento dos produtos tem sido um dos factores que têm contribuído para este cenário, daí que as autoridades vão criar mecanismos para alterar a situação.
A administradora realçou que, desde tempos idos, o município produzia muito algodão, uma cultura que continua sem ser reactivada, por falta de incentivos.
Neste momento, a mandioca, o inhame, a ginguba e o algodão são os principais produtos cultivados pelos camponeses.

Tempo

Multimédia