Províncias

Legislação ambiental do país é enaltecida por especialista

Venânci Víctor | Malanje

A legislação ambiental vigente no país é eficiente e consentânea com a estratégia do Executivo sobre a gestão ambiental, segundo o biólogo  brasileiro Cláudio Maurício.

Durante uma palestra em Malanje sobre “Gestão Ambiental, Seus Reflexos na Saúde”, inserida nas XIV Jornadas Científicas da Fundação Eduardo dos Santos (FESA), o especialista referiu que a gestão ambiental constitui um modelo de governação que passa pela participação das empresas para o êxito de projectos que visam o desenvolvimento social e económico.
O prelector realçou a importância da gestão dos recursos humanos na política ambiental, para a participação dos quadros na tomada de decisões.  Cláudio Maurício assegurou que o impacto ambiental ao nível do continente africano é tido como moderado, tendo em conta que ainda possibilita a prática e o desenvolvimento da actividade agrícola.
O especialista acrescentou que 60 por cento das espécies animais e vegetais apresentam riscos de extinção, devido à degradação ambiental, com maior probabilidade em África. Entre as espécies vegetais em vias de extinção, o prelector mencionou as plantas medicinais.
Os problemas ambientais influenciam igualmente o aumento da actividade bacteriana e de novos vírus, disse o orador. O biólogo apontou também a perda acentuada das áreas de ecossistemas florestais, causada pela desarborização para fins agrícolas e exploração de carvão, entre outras actividades resultantes da acção do homem sobre a natureza, como um dos factores que concorrem para o desequilíbrio ambiental. As acções de algumas espécies invasoras, como o escorpião, são igualmente outros problemas ambientais que devem ser resolvidos, disse Cláudio Maurício.
Para o especialista brasileiro, outro factor que contribui para as alterações climáticas é o dióxido de carbono. Estas alterações, de acordo com o orador, têm reflexos negativos no domínio da vida social, pois contribuem para a redução da capacidade produtiva, pesqueira, da biodiversidade e provocam  desnutrição.

Mudança de atitudes

Ao intervir no acto, o vice-governador de Malanje para o Sector Técnico e Infra-estruturas, Gabriel Pontes, precisou que a gestão ambiental requer a mudança de comportamentos, para garantir às gerações vindouras um ambiente de qualidade.
O Governo Provincial de Malanje tem dado cumprimento ao plano de gestão ambiental, com a realização de palestras, para evitar a exploração ilegal de inertes, queimadas anárquicas e a deposição de resíduos sólidos em locais inadequados, que constituem problemas que devem ser resolvidos, com a contribuição dos membros da sociedade.
O representante da FESA, Joaquim Duarte, destacou a pertinência do tema, referindo que é actual e de interesse para a província.

Tempo

Multimédia