Províncias

Literacia energética é levada às escolas

Venâncio Victor | Malanje

O Programa de Educação Energética, lançado pelo Ministério da Energia, com o objectivo de criar novos hábitos de consumo de energia, passa a ser implementado nas instituições de ensino, no âmbito de um protocolo assinado com o Ministério da Educação.

Fotografia: Jaimagens

O facto foi revelado ontem pela coordenadora do Programa, Neusa Cumbe, à margem da audiência que o governador provincial de Malanje, Norberto dos Santos, concedeu aos presidentes dos Conselhos de Administração da Rede Nacional de Transporte de Electricidade, João Saraiva, e das Edições Novembro, José Ribeiro.
Neusa Cumbe referiu que o Programa de Educação Energética, além de ser implementado nas escolas, vai contar igualmente com o apoio de professores, famílias, comunidades e das instituições governamentais, com vista a atingir-se melhores práticas do consumo de energia eléctrica. Alertou as instituições públicas e privadas a utilizarem lâmpadas florescentes, por serem mais económicas no consumo de energia e terem maior durabilidade. />Para garantir maior divulgação do programa de educação energética, que engloba a vertente pedagógica e a vertente comunicacional, foi estabelecida uma parceria com o Ministério da Comunicação Social.
A experiência pioneira do projecto foi implementada no município do Sambizanga, em Luanda, um dos distritos onde se regista grande desperdício de energia eléctrica. Nesta zona foram feitos estudos e diagnósticos para determinar como a população utiliza a energia, os contadores e outros equipamentos.
A falta de interruptores em residências, escolas e ligação de aparelhos de ar condicionado em compartimentos sem a presença de pessoas no interior são apontadas como factores que contribuem igualmente para o desperdício de electricidade.

Tempo

Multimédia