Províncias

Malange acolhe conferência de medicina tradicional

Vênancio Victor| Malange

A província de Malange acolhe, desde segunda-feira, a primeira Conferência Nacional de Medicina Tradicional, com a participação de mais de uma centena de terapeutas.

O encontro discutiu o papel da província de Malange na valorização da medicina tradicional e terapeuta ao serviço da saúde
Fotografia: Jornal de Angola

O acontecimento, que é uma pro­moção do Fórum de Medicina Tradicional em Angola (FOMETRA), decorre sob o lema “Província de Malange na valorização da medicina tradicional e terapeuta seguro ao serviço da saúde, garantido o resgate das tradições do povo angolano como parte do seu património”.
O vice-governador de Malange para o sector político e social, Manuel Campos, destacou os benefícios que a futura legislação e regulamento sobre a medicina tradicional no país podem trazer.
O governante disse que a medicina tradicional inclui os cuidados primários de saúde e tem a ver com o tratamento de doenças, utilizando raízes, plantas medicinais e outros recursos naturais não convencionais.
Para o responsável, os conhecimentos acumulados ao longo dos tempos podem ser deduzidos como uma propriedade intelectual e devem ser levados em consideração pelo saber científico.
O presidente executivo nacional do Fórum de Medicina Tradicional em Angola, Kitoco Maiavângua, disse que a instituição controla actualmente 61 terapeutas em Angola.
O terapeuta salientou que a medicina tradicional a nível do país está a marcar passos qualitativos, com a realização de encontros semelhantes em diversas províncias.
O responsável disse que a conferência nacional sobre medicina tradicional marca as comemorações do primeiro aniversário da instituição, a assinalar-se a 6 de Agosto.
Avô Kitoco, como é também conhecido, anunciou a realização de uma gala de homenagem, no próximo dia 31 de Agosto em Luanda, destinada aos governadores e entidades provinciais que se destacaram na promoção da medicina tradicional.
Neste mesmo dia, disse o responsável da associação dos terapeutas, celebram-se igualmente as festividades do Dia Africano da Medicina Tradicional, instituído pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

A importância da conferência

A primeira Conferência sobre Medicina Tradicional esclareceu que visa balancear também as actividades desenvolvidas no período 2011 e 2012 e perspectivar outras acções.
Para Avô Kitoco, a medicina tradicional ocupa um lugar importante no Sistema Nacional de Saúde e nos planos de desenvolvimento sanitário.
O director clínico do Hospital Geral de Malange, Jacob Nlenvo, manifestou-se satisfeito pela realização da conferência naquela província, visto que se trata de uma parcela do país com um hospital de carácter regional, que possui igualmente uma Faculdade de Medicina. O responsável clínico frisou que a medicina moderna não podia existir sem as plantas medicinais que a natureza oferece ao homem.  A título de exemplo, mencionou o antipalúdico “quinino”, que é originário da planta “quinquina”. Em função da importância das plantas na cura de várias doenças, Jacob Nlenvo frisou ser imperioso levar em consideração a medicina tradicional.

Tempo

Multimédia