Províncias

Malange forma técnicos agrários

Luísa Vitoriano | Malange

Técnicos do Instituto de Desenvolvimento Agrário e da  Acção para o Desenvolvimento Rural terminaram na cidade de Malange um curso de formação de mestres em metodologias de escolas de campo, com a duração de 75 dias. 

Camponeses vão ser apoiados para poderem aumentar a produção nas comunidades
Fotografia: Jornal de Angola

Os mestres vão trabalhar nas comunidades rurais, no âmbito do programa de combate à pobreza. Vão assegurar a expansão das metodologias das escolas de campo a todo o país. O director-geral adjunto do Instituto de Desenvolvimento Agrário (IDA), Miguel Pereira, disse que a formação está enquadrada na estratégia da sua instituição para o apoio à agricultura familiar e disse que é urgente traçar estratégias para o desenvolvimento da província de Malange, aproveitando as suas potencialidades agro-pecuárias e as características geográficas.
O Instituto de Desenvolvimento Agrário tem como estratégia apostar na formação e qualificação dos recursos humanos, para que os camponeses possam dar “saltos positivos”, numa agricultura voltada para o mercado e aumentar os rendimentos familiares. Miguel Pereira garantiu  o apoio contínuo da sua instituição aos camponeses.
O representante do Fundo da Agricultura e Alimentação (FAO) Jorge Panguene, assegurou que sua instituição vai dar todo o apoio para tornar a província de Malange um celeiro do país.
O director provincial da Agricultura, João Manuel, informou que na formação foram transmitidos conhecimentos básicos aos técnicos para que possam disseminá-los pelo interior e fomentar a agricultura. O vice-governador de Malange para o sector económico, Domingos Eduardo, destacou a importância da escola de campo, dizendo que constitui uma “ferramenta para a melhoria da actividade agrícola”.
A formação vai contribuir para fortalecer os conhecimentos dos camponeses e torná-los mais interventivos nos seus campos agrícolas e na gestão integral das culturas, para melhorar as suas condições de vida.
A agricultura familiar é uma peça basilar no combate à pobreza nas comunidades rurais, disse Domingos Eduardo. E referiu que o Governo de Malange vai dar todo o apoio à melhoria do nível de vida dos camponeses e permitir o escoamento da produção, através do programa de aquisição directa de produtos agrícolas, PAPAGRO.
Durante a formação, orientada por especialistas, foram ministradas matérias sobre a agricultura, escola do campo e escada metodológica, parcelas de aprendizagem, análise do sistema agro-ecológico, adubos orgânicos, estudo específico das terras e o maneio integrado de pragas.
O projecto, desenvolvido em diversas regiões do país, conta com o financiamento do Executivo, Banco Mundial, Fundo de Desenvolvimento Agrícola, além de uma doação do Governo japonês.

Tempo

Multimédia