Províncias

Malange institui prémio de jornalismo

Filipe Eduardo | Malange

O Governo Provincial de Malange vai institucionalizar, no próximo ano, o prémio provincial de jornalismo, no sentido de estimular os profissionais da classe, anunciou sexta-feira o governador Norberto dos Santos “Kwata Kanawa”.

Governo valoriza o trabalho desempenhado pelos profissionais da Comunicação Social
Fotografia: Jornal de Angola |

O governador disse que se pretende seguir o exemplo de outras províncias, onde já distinguem há alguns anos os profissionais da informação que se destacam na produção de matérias jornalísticas nas diversas especialidades. Kwata Kanawa fez o anúncio durante o balanço das visitas que procedeu ao longo da semana finda aos oito municípios da província. Para a instituição do prémio, o governante apelou aos jornalistas e direcção provincial da Comunicação Social para trabalharem no sentido de apresentarem a maqueta ou matriz e os critérios, para que o Governo Provincial disponibilize as verbas para o galardão.
O governador da província disse tratar-se de uma questão de justiça e de reconhecimento da tarefa que os jornalistas desenvolvem nesta parcela do país e daí a intenção das autoridades de institucionalizar o prémio. Kwata Kanawa espera que a comissão que for criada para trabalhar nos critérios de escolha ou eleição dos vencedores do prémio possa incluir as categorias do jornalismo, desde televisão, imprensa e rádio.
“Queremos que a distinção seja anual e que, se tudo correr bem, possamos começar já a partir do próximo ano”, avançou Norberto dos Santos, que garantiu que o Governo Provincial assegura o montante para o pagamento do prémio.O governador disse estar bastante interessado que este prémio seja realidade, uma vez que vai servir de mola impulsionadora para que surjam jornalistas de maior qualidade e é uma forma de dar maior projecção aos profissionais.
Os profissionais em Malange consideraram a intenção de bastante louvável, por representar o reconhecimento do trabalho que a classe desenvolve para o engrandecimento da província.
Albanido Saraias, jornalista da Rádio Ecclésia, disse que o governador de Malange está a ser justo ao propor que se tenha em conta o trabalho dos fotógrafos e os operadores de câmara, visto que “os profissionais não são apenas os locutores ou os que escrevem”.
O jornalista da Emissora Provincial da Rádio Nacional, Dito Tavares, salientou que o prémio vai galvanizar a classe a optar por trabalhos de fundo, informando com maior qualidade.
Simão Marcos, director da Angop em Malange, também louvou a iniciativa, esperando que ela dê outra dinâmica ao jornalismo que se faz em Malange, despertando nos profissionais o interesse em investigar mais sobre os fenómenos sociais.

Tempo

Multimédia