Províncias

Malange tem centenas de profissionais formados nas escolas de artes e ofícios

Venâncio Victor | Malange

O vice-governador para a Área Económica, António Dias da Silva, encerrou o ano formativo dos centros e pavilhões de artes e ofícios da Direcção Provincial do MAPESS e referiu que é importante que os jovens contribuam com o seu dinamismo, entusiasmo e criatividade para o processo de estabilidade e crescimento socioeconómico.

Jovens da província concluíram com êxito a formação profissional em artes e ofícios
Fotografia: Jornal de Angola

O vice-governador para a Área Económica, António Dias da Silva, encerrou o ano formativo dos centros e pavilhões de artes e ofícios da Direcção Provincial do MAPESS e referiu que é importante que os jovens contribuam com o seu dinamismo, entusiasmo e criatividade para o processo de estabilidade e crescimento socioeconómico. Os jovens, disse, precisam de participar na solução dos múltiplos problemas da sociedade.
António Dias da Silva reiterou a aposta do Executivo na formação permanente da juventude para trilhar os caminhos de crescimento económico e estabilidade política e social. O Governo Provincial de Malange vai continuar a promover o diálogo com os parceiros sociais e em especial os jovens para acompanhar a evolução das condições de emprego e o bem-estar das famílias angolanas.
O vice-governador lembrou que estas e outras medidas passam a ser reforçadas no âmbito da parceria privada com micro, pequenas e médias empresas que têm acesso ao crédito bancário bonificado, com objectivo de combater a pobreza e incentivar as oportunidades de negócios. O director do Centro Integrado de Formação Profissional de Maxinde, Rui Bravo, informou que na instituição foram matriculados este ano lectivo 1.174 candidatos, dos quais 800 ficaram aptos, uma percentagem de 68 por cento.
Jovens de ambos os sexos concluíram a formação nas especialidades de alvenaria, agricultura, canalização, carpintaria, corte e costura, decoração e culinária, electricidade, informática, serralharia e contabilidade nos Centros e Pavilhões de Artes e Ofícios do MAPESS.
Os cursos duraram seis meses e foram ministrados no Centro Integrado de Maxinde e nos Pavilhões de Arte e Ofícios dos municípios de Cangadala, Caculama e Calandula. No Centro de Maxinde, com seis salas de aula, foram matriculados  639 formandos, dos quais 538 aptos.
Numa mensagem lida na ocasião, os formados enalteceram os esforços do Executivo na edificação dos Centros Profissionais de Arte e Ofícios, porque vai permitir a sua inserção no mercado de trabalho.
Luzia Domingos, 16 anos, é uma das recém formadas em electricidade e disse que no princípio as coisas eram difíceis, mas valeu a força de vontade.  Hoje está apta a trabalhar como electricista.

Tempo

Multimédia