Províncias

Malanje na luta contra o analfabetismo

O Governo Provincial de Malanje vai continuar a desenvolver acções que garantam uma redução considerável dos níveis de analfabetismo na região, garantiu o vice-governador para a área Política e Social.

 

 

Actuais indicadores de analfabetismo constituem um dos mais sérios desafios das autoridades da província de Malanje
Fotografia: Genivaldo da Fonseca | Malanje

Manuel Campo realçou que a luta contra o analfabetismo é uma das prioridades do Governo Provincial, no âmbito das acções de melhoria das condições de vida da população e das estratégias de combate à pobreza.
Ao falar no primeiro ciclo de formação de formadores provinciais e municipais, que encerrou ontem, no quadro do Programa de Alfabetização e Aceleração Escolar do Ministério da Educação, denominado “Sim, eu posso”, referiu que os actuais índices de analfabetismo constituem um dos mais sérios desafios do país e da província de Malanje, em particular.
A alfabetização, por ocupar uma posição relevante nos actuais processos de ensino e a­prendizagem a nível mundial, constitui uma preocupação sociocultural, económica e política, tanto dos países desenvolvidos como dos em vias de desenvolvimento, salientou.
Manuel Campo recordou que, no âmbito do Programa de Alfabetização e Aceleração Escolar, o Executivo aprovou em 2007 a estratégia de relançamento da alfabetização e recuperação do atraso escolar, uma vez que se registava um significativo número de pessoas adultas sem saber ler nem escrever.
A concluir, o responsável pediu aos participantes grande a­tenção e aplicação nos temas discutidos, para o bom aproveitamento e ser melhorada a forma de transmitir conhecimentos aos facilitadores comunitários. O director provincial da Educação, Ciência e Tecnologia, Gabriel Boaventura, disse que o método “Sim, eu posso” vai ser incrementado em todo o território da província para cumprir os objectivos da campanha de alfabetização.
Malanje tem identificados 53 mil analfabetos, razão pela qual os esforços devem prosseguir, em parceria com as autoridades centrais, para que se enquadrem mais cidadãos no sistema de alfabetização e aceleração escolar, sublinhou.
O director  provincial da Educação, Ciência, Gabriel Boaventura explicou que os formadores vão ter a missão de formar os facilitadores que vão trabalhar nas comunidades.
Durante cinco dias, os participantes abordaram temas teóricos e práticos, relacionados com o método “Sim, eu posso” dos módulos 1, 2 e 3 do ensino primário, educação de adultos e geral.

Tempo

Multimédia