Províncias

Malanje tem plano para desenvolver a agro-indústria

Alberto Domingos | Malanje

O Plano de Acção para o Desenvolvimento Agro-industrial de Malanje, que vai fomentar a produção do arroz, milho, frutas, legumes, leite e o desenvolvimento da actividade agropecuária, arranca a partir do próximo ano, anunciou o governador provincial.

Vista parcial da cidade de Malanje onde estão a ser criadas novas estratégias para garantir a segurança alimentar nas comunidades
Fotografia: Genivaldo da Fonseca

Norberto dos Santos, que falava no termo da apresentação do plano, feita por técnicos brasileiros das empresas I.Green e PMAO, considerou o programa de bastante ambicioso, uma vez que vai contribuir para o combate à pobreza e diversificar as economias local e nacional.
O projecto é viável e algumas acções já começaram a ser traçadas, aguardando-se pela sua implementação a partir do próximo ano. Norberto dos Santos assegurou que os diferentes programas de fomento à agro-indústria são bem-vindos, mas a prioridade recai para o Plano Nacional de Desenvolvimento (PND) 2013-2017, traçado pelo Executivo.
O governador provincial disse que o PND 2013-2017 é um dos maiores gizados pelo Executivo, tendo em conta que vai contribuir significativamente na redução da pobreza no país e melhorar a condição de habitabilidade de muitas famílias. “O que nós queremos é reafirmar o nosso compromisso e seguir detalhadamente todas as orientações para o êxito do PND em Malanje”, assegurou o governador Norberto dos Santos. O responsável convidou ainda os empresários, que apresentaram o plano, para participarem na Conferência Internacional sobre Promoção de Investimento que a província vai organizar em Outubro, no sentido de estarem mais informados sobre alguns projectos em curso em Malanje.

Investimento empresarial


Apesar do actual clima financeiro mundial, o governador provincial de Malanje exortou os empresários de diferentes áreas a investirem na província e arredores, dada às potencialidades que a região oferece, quer no turismo, quer no agro negócio.
Norberto dos Santos valorizou o trabalho que está a ser levado a cabo por aqueles empresários e pela Sociedade de Desenvolvimento do Polo Agro-industrial de Capanda, no fomento à actividade agropecuária, o que vai contribuir no processo de diversificação da economia nacional. O representante da empresa I.GREEN, Giuliano Senatore, realçou que a esta altura, enquanto decorrem outros arranjos do projecto, vai também ser feito o estudo da viabilidade afro climática de Malanje.
Giuliano Senatore considerou que o projecto, que já funciona nas províncias do Cuando Cubango e Uíge, é um dos grandes eixos dinamizadores para o desenvolvimento da agro-indústria de qualquer país. Em Malanje, prosseguiu o responsável, a instituição quer trabalhar e desenvolver mais de 30 variedades de cultura, sobretudo as que geram benefícios alimentares mais rápido. “Com este projecto queremos ­abranger toda a província de Malanje com a actividade agro-industrial, desde a produção de cereais, lacticínios, fruticultura, avicultura e outras áreas do sector”, afirmou.
Um dos grandes objectivos da implementação do plano é reduzir as importações e fazer com que a agricultura familiar seja responsável ­pela produção da maioria dos alimentos consumidos no país, como é o caso do Brasil. Giuliano Senatore disse ainda que se pretende contribuir na geração de empregos, incluindo técnicos angolanos no projecto, sobretudo alguns produtores da região e engenheiros formados no local.

Tempo

Multimédia