Províncias

Mediateca móvel aberta ao público

Luísa Victoriano| Malanje

A população da cidade de Malanje dispõe, desde sexta-feira, de uma Mediateca móvel, com 30 lugares para leitura e outros 18 reservados aos utilizadores de computadores conectados à Internet.

Um serviço livre ao alcance da juventude
Fotografia: Dombele Bernardo

A Mediateca dispõe de uma variedade de livros de escritores angolanos e manuais científicos, que vão permitir aos estudantes e à população em geral aperfeiçoar os seus conhecimentos e a realização de trabalhos de investigação científica.
O estabelecimento vai funcionar em regime de turnos e tem várias valências para a realização de palestras, seminário, conferências, formação, consultas de livros e apresentação de secções de filmes.
Para acesso aos serviços disponíveis na Mediateca, onde foram empregados seis jovens da província, o candidato tem de apresentar um cartão de usuário, que é obtido em algumas horas com apenas 1.000 kwanzas, acompanhado de cópia do Bilhete de Identidade.
O governador provincial de Malanje, Norberto dos Santos, que procedeu à inauguração da infra-estrutura, apelou aos funcionários da Mediateca e à população a conservarem o empreendimento, garantindo a sua durabilidade. Norberto dos Santos congratulou-se com a iniciativa do Presidente da República, José Eduardo dos Santos, por dar prioridade à província de Malanje com uma Mediateca móvel com várias valências.
O secretário de Estado para as Tecnologias de Informação, Pedro Teta, na qualidade de coordenador da Rede de Mediatecas de Angola (REMA), disse que o projecto visa, a longo prazo, permitir o acesso e a participação da sociedade à informação, fortalecer os sistemas educacionais em Angola, contribuindo para o desenvolvimento económico e social do país.
A inauguração da Rede de Mediatecas de proximidade vem complementar as Mediatecas fixas e responder aos anseios da comunidade estudantil dos 14 municípios da província de Malanje. O foco estratégico da REMA está centrado em quatro vectores, sendo o primeiro a educação, que dá o acesso aos recursos e conteúdos educacionais para garantir uma instrução de qualidade, enquanto o segundo contempla o sector do empreendedorismo, que apoia as actividades empresariais e a promoção da competitividade empresarial, através da utilização das TIC e acesso ao conhecimento especializado.
O terceiro vector consiste na ciência e tecnologia, que facilitam o acesso e a geração de conhecimento, assim como serve para documentar o conhecimento angolano, pois a informação científica é um recurso nacional para a inovação e desenvolvimento socioeconómico.
Por último, a cultura e arte, que contemplam a criação, preservação e divulgação da produção artística e cultural angolana, disse o secretário de Estado.

Apoio presidencial

A Rede de Mediateca Móvel, com o patrocínio da Presidência da República, tem o objectivo de dotar o país de um conjunto de infra-estruturas , utilizando os mais variados meios de difusão do conhecimento e da aprendizagem.
O projecto teve início em 2010 e tem a missão de implementar 25 Mediatecas em todo o país, até 2017.
Neste momento, as Mediatecas móveis já estão a funcionar nas províncias de Luanda, Malanje, Uíge, Cabinda e Lunda Sul, restando as demais regiões. Quanto à REMA, actualmente estão a funcionar Mediatecas nas províncias de Luanda, Benguela, Lubango e Soyo. Prevê-se a inauguração em breve da Mediateca do Huambo.

Tempo

Multimédia