Províncias

Menos viagens semanais

Francisco Curihingana| Malange

O comboio do Caminho-de-Ferro de Luanda (CFL) vai passar a fazer apenas, a partir de agora, uma viagem por semana para a província de Malange, anunciou o presidente do Conselho de Administração da empresa ferroviária.

Passageiros optam por outros transportes
Fotografia: Genivaldo Fonseca| Malange

O comboio do Caminho-de-Ferro de Luanda (CFL) vai passar a fazer apenas, a partir de agora, uma viagem por semana para a província de Malange, anunciou o presidente do Conselho de Administração da empresa ferroviária.
Lobo do Nascimento explicou que a medida surge devido ao facto da linha estar a registar uma escassez acentuada de passageiros, o que levou a administração a reduzir de três para uma frequência semanal.
Os passageiros, de acordo com o responsável do CFL, preferem viajar de carro ou de avião, alegando maior rapidez destes meios, em relação ao comboio.
O problema, segundo Lobo do Nascimento, consiste no facto do passageiro demorar quatro horas de viagem rodoviária, pagando entre dois mil e 2.500 kwanzas, quando por via ferroviária leva oito horas, por 700 e 800 kwanzas.
Apesar desta desvantagem do tempo, Lobo do Nascimento considerou que este factor não pode ser apenas o único motivo que pesa na decisão dos passageiros, uma vez que eles deviam pensar noutro conjunto de preocupações e perigos que a viagem rodoviária apresenta.
Enquanto se estudam estratégias para alterar o quadro, o PCA do CFL garantiu que a empresa vai continuar a transportar passageiros para Malange, passando a fazê-lo à quarta-feira, que é, desde então, o dia do comboio de maior frequência. Neste momento, o comboio inter-estações, que transporta mais passageiros, continua, ao contrário do expresso que transporta poucos passageiros, disse o responsável da ferroviária.

Tempo

Multimédia