Províncias

Metodistas no combate à violência

Venâncio Victor|Malange

A responsável pela Sociedade de Mulheres da Igreja Metodista Episcopal Africana Sião, Nascinha Paulo, reiterou domingo, em Malange, a aposta daquela instituição religiosa na luta contra a violência doméstica.

A responsável pela Sociedade de Mulheres da Igreja Metodista Episcopal Africana Sião, Nascinha Paulo, reiterou domingo, em Malange, a aposta daquela instituição religiosa na luta contra a violência doméstica.
Falando durante a cerimónia de encerramento da X conferência anual daquela agremiação, a responsável manifestou a sua preocupação face aos crescentes casos de violência que se têm registado em diversos lares.
Nascinha Paulo referiu que as mulheres vítimas de violência doméstica acabam, na maior parte das vezes, por perder os seus lares e por isso há necessidade de sensibilização dos homens para evitarem as várias formas de violência que são exercidas sobre as mulheres.
A responsável da organização feminina exprimiu a sua satisfação com a recente aprovação pela Assembleia Nacional do diploma legislativo sobre a violência doméstica. A conferência da Sociedade de Mulheres da Igreja Metodista Episcopal Africana Sião, que visou balancear as actividades desenvolvidas por esta organização feminina, contou com a participação de 165 delegadas, seleccionadas ao nível de 17 congregações.
Na actividade da Igreja Metodista Episcopal Africana Sião, que controla, em Malange, 1.177 mulheres, participaram representações das igrejas Católica,  Metodista Unida e outras.

Tempo

Multimédia