Províncias

Milhares de professores nas escolas de Malange

Luisa Vitoriano | Malange

Um total de 8.407 professores para o ensino geral vão assegurar o processo de ensino e aprendizagem na província de Malange, durante o ano lectivo 2011.

Um total de 8.407 professores para o ensino geral vão assegurar o processo de ensino e aprendizagem na província de Malange, durante o ano lectivo 2011.
O facto foi revelado segunda-feira pelo director provincial da Educação, Ciência e Tecnologia, Gabriel Alexandre Boaventura, durante a abertura oficial do ano lectivo, que decorreu na escola Effel, localizada no bairro de Kangambo.
Gabriel Boaventura referiu ainda que a província de Malange tem disponíveis 2.216 salas, sendo 1.986 para o ensino primário, 196 para o primeiro ciclo do ensino secundário, 34 salas para o segundo ciclo do ensino secundário, assim como 41 escolas comparticipadas, numa parceria de diversas igrejas sedeadas na província.
Para garantir melhor qualidade do ensino e o desenvolvimento do sector, a Direcção provincial da Educação, Ciência e Tecnologia realizou jornadas pedagógicas e seminários de capacitação pedagógica, que contaram com a participação de novos professores, enquadrados recentemente no sector e directores de várias instituições escolares.
Gabriel Boaventura apelou aos professores a comparecerem nas escolas onde leccionam, para iniciarem as aulas, de maneira a não atrapalhar o calendário escolar na região. Para os professores faltosos e principalmente na primeira semana de aulas, disse que vão ser tomadas medidas drásticas. A vice-governadora para o sector político e social, Alice Van-Dúnem, ao proceder à abertura do ano lectivo, em representação do governador provincial, Boaventura Cardoso, disse que a aposta do Governo provincial é trabalhar na execução de programas de formação e capacitação dos professores, construção, reabilitação e apetrechamento de escolas.

Merenda escolar

Constam ainda das prioridades do Governo Provincial a construção de residências para acomodação de professores, a execução do programa de merenda escolar e a formação e capacitação dos gestores escolares, no quadro do programa de melhoria e aumento da oferta de bens e serviços sociais básicos à população .
Quanto à corrupção, a vice-governadora afirmou que tem vindo a verificar-se certas práticas envolvendo professores e alunos em períodos de provas e matrículas.
Para inverter o actual quadro, disse ser necessário a Direcção Provincial da Educação, Ciência e Tecnologia despoletar mecanismos mais eficientes para se desencorajar este fenómeno, em todas as instituições de ensino.
 “Os que resistirem devem ser responsabilizados administrativa e judicialmente, quer sejam estudantes ou professores”, disse Alice Van-Dúnem, acrescentando que o processo de reabilitação e construção de escolas, bem como de admissão de professores, vai prosseguir para que todas as crianças em idade escolar sejam inseridas no ensino.

Tempo

Multimédia