Províncias

Moagem substitui o pilão tradicional

Francisco Curihingana | Malanje

O Instituto Português de Apoio ao Desenvolvimento (IPAD), em parceria com a ONG Centro de Estudos Tropicais para o Desenvolvimento (CENTROP) e o Instituto de Desenvolvimento Agrário (IDA), construiu em Mandele, na comuna do Cota, município de Kalandula, a sudoeste de Malange, uma moagem que vai ajudar a comunidade na transformação do bombó em fuba, principal produto da dieta alimentar da população angolana.

A fuba de bombó é um produto bastante apreciado pela população angolana sobretudo a do norte do país
Fotografia: Jornal de Angola

O Instituto Português de Apoio ao Desenvolvimento (IPAD), em parceria com a ONG Centro de Estudos Tropicais para o Desenvolvimento (CENTROP) e o Instituto de Desenvolvimento Agrário (IDA), construiu em Mandele, na comuna do Cota, município de Kalandula, a sudoeste de Malange, uma moagem que vai ajudar a comunidade na transformação do bombó em fuba, principal produto da dieta alimentar da população angolana.
Durante a inauguração da unidade fabril, realizada ontem, o administrador comunal do Cota, Gaspar Nicolau Foguete, agradeceu o gesto das instituições envolvidas no projecto de impacto social, sobretudo o instituto português, que viabilizou a aquisição da maquinaria da unidade fabril.
Gaspar Foguete referiu que o Cota é uma região essencialmente agrícola, pelo que as mulheres camponesas vão ser as principais beneficiárias e que, “a partir de agora, deixam de utilizar os pilões para transformar o bombó em fuba”.
A representante do Instituto Português de Apoio ao Desenvolvimento (IPAD), Helena Pinto, referiu que o gesto pretendeu ser um reconhecimento da importância que o cultivo da mandioca tem no sistema de produção do camponês malangino.
O trabalho da unidade fabril, segundo Helena Pinto, vai reduzir o tempo e o esforço dispendido pelas mulheres na transformação do bombó em fuba e ser uma grande valia para as famílias camponesas, dado o valor comercial da fuba de bombó no mercado nacional. Reiterou ainda o compromisso da instituição que representa na continuidade dos apoios às comunidades, com vista a ajudar o governo local na resolução de alguns problemas.
O director provincial da Agricultura, Desenvolvimento Rural e Pescas, engenheiro João Manuel, referiu, durante a cerimónia, que o gesto surge no âmbito dos vários programas que o governo tem estado a desenvolver no sentido de combater a fome e a pobreza, melhorando as condições de vida das populações.
“O governo encontrou mais uma vez uma parceria com o instituto português que aqui veio e identificou, em conjunto com as comunidades, essa dificuldade, que a partir de hoje fica ultrapassada”, disse.
A regedora NGola MBande exprimiu, na oportunidade, a sua satisfação pelo gesto e disse que vai ajudar a minimizar as dificuldades das comunidades que beneficiaram daquela moageira.
Acrescentou que, com a unidade fabril à disposição das comunidades, os camponeses vão aumentar os níveis de produção da mandioca que vão comercializar, para fazer face aos desafios da vida.
A unidade fabril é resultado de uma visita efectuada em Abril de 2009 àquela aldeia pelo Presidente do Instituto Português de Apoio ao Desenvolvimento, Manuel Correia.

Tempo

Multimédia