Províncias

Mototaxistas informados sobre código de estrada

Elautério Silipuleni | Ondjiva

Os “cupapatas” do Cunene foram sensibilizados numa palestra, para a necessidade do cumprimento do Código de Estrada, com vista à diminuição do elevado índice de sinistralidade rodoviária.

Polícia Nacional está preocupada com os casos de sinistralidade rodoviária
Fotografia: Jornal de Angola

Os “cupapatas” do Cunene foram sensibilizados numa palestra, para a necessidade do cumprimento do Código de Estrada, com vista à diminuição do elevado índice de sinistralidade rodoviária.
Na actividade, promovida pela Unidade Operativa de Trânsito de Ondjiva, os “cupapatas” foram informados sobre as normas e regulamentos do Código de Estrada, porque têm de respeitar a integridade física das pessoas que transportam.
O comandante da Policia de Trânsito do Cunene, intendente Salvador Adolfo dos Santos, pediu aos condutores de motas a respeitarem as regras de condução nas vias, usando sempre o capacete, redução de velocidade e evitarem o consumo de bebidas alcoólicas para não colocarem em risco vidas humanas.
Salvador dos Santos salientou que a Polícia Nacional está preocupada com os casos de sinistralidade rodoviária que envolvem motociclistas, uma vez que facilmente provocam mortes e lesões graves.
O comandante da Polícia de Trânsito no Cunene disse que a instituição delineou um plano de prevenção rodoviária, que visa sensibilizar os motociclistas no sentido de observarem os termos do Artigo 81º do Código de Estrada sobre o uso de capacete pelo condutor e o acompanhante.
A corporação vai continuar a desenvolver acções que visam o cumprimento do regulamento da estrada, contribuindo para a mudança de atitude de alguns cidadãos que conduzem fora da lei.
Salvador Adolfo dos Santos aconselhou ainda os motociclistas a evitarem a circular com as motorizadas sem documentos, com destaque para as cartas de condução e chapas de matrícula.
 O comandante da Polícia salientou que a corporação, durante o segundo trimestre deste ano, registou 70 acidentes, que provocaram a morte de 12 pessoas e o ferimento de 83 outras.

Tempo

Multimédia