Províncias

Mulheres angolanas falam do papel desempenhado na luta de libertação

Venâncio Victor | Malange

As mulheres angolanas desempenharam um papel fundamental na luta de libertação nacional e pretendem afirmar-se, a nível do continente africano, como uma organização feminina forte, disse a vice-governadora de Malange para o Sector Político e Social.

Marcha mobilizou a camada feminina que disse "não" à violência doméstica
Fotografia: Jornal de Angola

As mulheres angolanas desempenharam um papel fundamental na luta de libertação nacional e pretendem afirmar-se, a nível do continente africano, como uma organização feminina forte, disse a vice-governadora de Malange para o Sector Político e Social.
Alice Van-Dúnem, que falava no acto provincial das comemorações do Dia da Mulher Africana, assinalado domingo, no município de Cacuso, disse que a união entre as mulheres africanas contribuiu para a tomada de consciência e de decisões rumo à conquista dos direitos políticos, económicos sociais e culturais.
“A luta pela defesa dos direitos das mulheres já produziu efeitos positivos e hoje é visível a sua participação nos mais variados sectores da vida socio-económica”, disse.A vice-governadora, Alice Van-Dúnem, defendeu, por outro lado, a necessidade de se prestar uma maior atenção às mulheres, sobretudo as mais vulneráveis, as portadoras do VIH-SIDA e as vítimas de violência doméstica. A aprovação do diploma que penaliza esta prática, acrescentou, veio ajudar a disciplinar e regular os comportamentos menos dignos no convívio familiar.  O Dia da Mulher Africana foi instituído em 1962, em Dala Samba, Tanzânia, durante uma conferência de mulheres que contou com a participação de 14 países e oito movimentos de libertação nacional. Em Malange, a data foi marcada por uma marcha de mulheres dos mais variados segmentos da sociedade, a exibição da cultura da terra e da culinária da região de Cacuso.

Tempo

Multimédia