Províncias

No caminho do desenvolvimento sustentável

André da Costa | Quela

O município do Quela, na província de Malange, foi no passado o que mais sofreu com a guerra, que destruiu por completo as suas principais infra-estruturas.

Obras de reabilitação da estrada que liga a sede do município às comunas de Benguela estão em curso com os trabalhos de terraplanagem
Fotografia: Santos Pedro |

O município do Quela, na província de Malange, foi no passado o que mais sofreu com a guerra, que destruiu por completo as suas principais infra-estruturas. O município adquire agora uma nova dinâmica, com a construção de escolas, postos médicos, maternidade, casas para médicos e professores.
O Programa Municipal de Desenvolvimento Rural e Combate à Pobreza está a permitir ao Governo Provincial construir infra-estruturas no domínio da educação, saúde, banca comercial, campos desportivos, entre outros projectos destinados a beneficiar os seus mais de 32 mil habitantes, que já consomem água tratada e têm luz eléctrica. 
Depois das cerca de 12 mil pessoas residentes na sede do município já estarem a usufruir de água potável, a administração municipal encara agora o desafio de a fazer chegar a todas as comunas, através da abertura de furos.
Idêntica situação se passa com a energia, uma vez que existe um grupo gerador que abastece a comuna sede, estando agora a ser desenvolvidas acções no sentido de instalar cabines para electrificar as demais comunas.
A população do Quela é maioritariamente camponesa, razão pela qual a administração local está a distribuir parcelas aos agricultores da região, para que possam aumentar a produção agrícola.
 O administrador municipal, Tomás Rodrigues da Conceição, explica que a ideia é deixar de ter uma agricultura de subsistência e passar para uma de grande escala, para combater a pobreza.
As obras de reabilitação da estrada que liga a sede do município às comunas de Banguelas e de Moma estão em curso, com os trabalhos de terraplanagem, numa primeira fase.
 “A condução ainda é feita em terra batida, mas dentro de pouco tempo vai melhorar”, garante o administrador. A estrada entre a cidade de Malange e o Quela tem 25 quilómetros asfaltados, dos cerca de 125 que possui. O resto do trajecto está a ser feito em terra batida.
O administrador tem pedido aos empresários nacionais e estrangeiros para investirem no município e desse modo incentivarem o desenvolvimento de todos os sectores. Tomás Rodrigues da Conceição diz que o desejo é que haja investimentos fortes por parte do empresariado nacional, não só no sector agrário, mas também em áreas como a do turismo.
No domínio dos transportes, explica que existem duas empresas rodoviárias que fazem a ligação entre a sede provincial e o município do Quela, que transportam centenas de passageiros todos os dias.

Memorial Teka Dya Kinda

Um memorial em homenagem aos soldados tombados em 1961, na batalha contra o regime colonial português, vai ser construído na localidade de Teka Dya Kinda.
Tomás Rodrigues da Conceição garante, sem especificar a data, que as obras de construção têm início já no próximo ano.
Os amantes da leitura têm disponível uma biblioteca com capacidade para 35 leitores sentados, que apoia os jovens em consultas e investigação. 
A construção de raiz de uma agência bancária do BPC foi acolhida com satisfação por parte do administrador municipal e funcionários públicos, uma vez que vai evitar que tenham de se deslocar à Caculama para fazerem operações bancárias.
No Quela, está em marcha um projecto para a construção de 200 fogos habitacionais e 50 casas evolutivas, no quadro do Programa Nacional de Habitação.
O Cofre de Providência Social do Ministério do Interior tem igualmente um projecto para a construção de 200 casas para os seus quadros. Uma nova maternidade, com capacidade para 24 camas, está a ser erguida para atender as grávidas. Esta unidade, que vai juntar-se ao actual hospital municipal, de 25 camas e igualmente em obras, está a ser apetrechada com equipamentos modernos e vai contar com uma ambulância para transportar doentes graves.
A administração municipal vai ainda pôr uma outra à disposição do centro de saúde da comuna do Xandel do Cagia.
O chefe de Repartição Municipal de Saúde do Quela, João Augusto Henriques, explicou que o hospital municipal e o centro de saúde da comuna do Xandel do Cagia sãos abastecidos regularmente de medicamentes, provenientes da direcção provincial da Saúde.
As obras do hospital municipal estão a ser executadas por uma empresa nacional que dá emprego a centenas de jovens. Manuel Wilson é um deles e confessa a sua satisfação por estar a contribuir para o engrandecimento do país.  Manuel aconselha os jovens que estão desempregados a dirigirem-se a um centro de emprego e formação profissional para adquirirem técnicas que lhes facilitem encontrar trabalho.

Caculama

No município de Caculama foi construído um hospital municipal com capacidade para cem camas e que funciona com cinco médicos. Foram ainda construídos e reabilitados postos médicos, centros de saúde nas três comunas e uma casa para médicos e enfermeiros.
Os cuidados primários de saúde estão a funcionar no município do Quela, na província de Malange, graças a um investimento avaliado em mais de 191 milhões de kwanzas. O administrador municipal de Caculama, Serrote Gil, explica que foram erguidas a sede da Administração e seis escolas, estando neste momento a trabalhar no sentido de levar água potável a todas as comunas.
 Foi ainda construído um campo polidesportivo, um centro de cultura, um balneário público e o Balcão Único do Empreendedor.
“A construção de 200 casas sociais e 50 evolutivas já teve início. Também está construído um novo mercado municipal, que aguarda pela inauguração, e tem capacidade para cem vendedoras”, afirma o administrador.
Desde a era colonial, Caculama nunca teve uma escola do ensino médio. Mas a paz permitiu que fosse erguida uma do II ciclo, que este ano vai ter os seus primeiros 50 finalistas. A energia eléctrica é abastecida através de painéis solares.

Tempo

Multimédia