Províncias

Nova unidade prisional construída em Malange

Venâncio Victor | Malange

Uma nova penitenciária com capacidade para acolher 8.160 reclusos está a ser construída em Malange. A informação foi prestada pelo director da unidade prisional da Comarca de Malange, António José, durante uma visita que os membros do Comité Provincial dos Direitos Humanos efectuaram à unidade prisional, no âmbito das comemorações do Dia Mundial dos Direitos Humanos, assinalado ontem.

Reclusos frequentam aulas de alfabetização
Fotografia: João Gomes

Uma nova penitenciária com capacidade para acolher 8.160 reclusos está a ser construída em Malange. A informação foi prestada pelo director da unidade prisional da Comarca de Malange, António José, durante uma visita que os membros do Comité Provincial dos Direitos Humanos efectuaram à unidade prisional, no âmbito das comemorações do Dia Mundial dos Direitos Humanos, assinalado ontem.
O Comité Provincial dos Direitos Humanos aproveitou a oportunidade para entregar aos presos bens alimentares, material didáctico e material desportivo. “Este donativo surge como respostas às solicitações manifestadas pela direcção da penitenciária de Malange” disse o responsável.
Na ocasião, Gabriel Boaventura pediu à população penal para respeitar a disciplina enquanto cumpre as penas.
 A nova penitenciária vai ter áreas administrativas, cozinha, casernas para os responsáveis da cadeia e contempla ainda a construção de cinco casas para os funcionários, um posto médico e um campo desportivo.
Com a construção das novas instalações, o estabelecimento prisional, que acolhe actualmente 106 reclusos, entre condenados e presos preventivos, vai melhorar as suas condições de acomodação.António José disse que pelo menos 48 reclusos estão a prestar o seu contributo à edificação da cadeia, em regime de contrato por tempo determinado. Os reclusos frequentam também aulas de alfabetização para aumentar o seu nível de escolaridade ao mesmo tempo que aprendem outras actividades de artes e ofícios. Para a diversificação da dieta alimentar da população penal, o estabelecimento conta na presente época agrícola com uma produção de mais de 40 hectares de mandioca, bananal, milho, repolho, melancia, abacaxi e de cana-de-açúcar.

Tempo

Multimédia