Províncias

Pedido de ajuda vem de Malange

Francisco Curihingana| Malange

A crise económica que afecta Portugal está a ter efeitos nefastos para a Casa do Gaiato em Malange.  

 
A crise económica que afecta Portugal está a ter efeitos nefastos para a Casa do Gaiato em Malange.  
De acordo com o padre Telmo, que falou na sexta-feira à comunicação social, quando recebia um donativo do Grupo Miamop, neste momento a instituição já não recebe apoio de Portugal, devido à crise que aquele país enfrenta. “Portugal deixou de patrocinar a nossa obra”, disse o padre Telmo.
O responsável da Casa do Gaiato referiu que, com a crise, vai ser necessário que “os irmãos de Angola prestem um pouco do seu carinho, para que as crianças sob o cuidado da Casa do Gaiato tenham a atenção que se deseja”.
A instituição de Malange tem neste momento 130 crianças, que estão a ser formadas em carpintaria, mecânica, electricidade, entre outros ofícios. De recordar que, por ocasião das festas do Natal, o Grupo Miamop levou para aquela instituição bens alimentares, além de roupas usadas.
O presidente do grupo, Monteiro Pinto Capunga, disse ser obrigação social da sua empresa ajudar e levar carinho e alegria aos necessitados. O grupo Miamop levou também bens alimentares, roupas usadas e brinquedos para o Orfanato Dor. O gesto estendeu-se ao Lar de Kinzamo, na  Carreira de Tiro, onde mais de 20 idosos receberam comida,  mantas e refrigerantes.

Tempo

Multimédia