Províncias

Produtos do campo em deterioração

 Os camponeses da comuna de Cambaxe, município de Malanje, manifestam-se preocupados na quinta-feira com a falta de transporte para o escoamento de produtos do campo para a cidade, situação que tem condicionado a sustentabilidade das suas famílias.

Falta de escoamento de produtos para grandes centros de consumo faz com que modo de vida das famílias no campo fique deteriorado
Fotografia: JAImagens

Falando à Angop, alguns camponeses disseram que a dificuldade de escoamento dos produtos tem resultado na deterioração de muitas culturas alimentares, por isso, clamam por ajuda das entidades afins e de filantropia.
O soba da comuna de Cambaxe, Bumba Caiongo, disse que os camponeses a nível da região têm capacidade de cultivar muitos produtos, mas por falta de meios para transportação dos mesmos para os locais de consumo, vêem-se dificultados em aumentar os níveis de produção.
Apontou a mandioca, feijão, ginguba, milho, batata-doce e rena e hortaliças como as culturas mais produzidas em Cambaxe, mas que rendem pouco, porque não são comercializadas, servindo apenas para o consumo local dos munícipes.
Bumba Caiongo precisou que, para além dos camponeses locais não disporem de condições próprias para levar a produção à cidade, os comerciantes locais e da sede de Malanje também não se interessam em adquirir os meios para a revenda.
Outra condicionante, de acordo com o Soba, tem a ver com a subida da corrida do táxi de Cambaxe para a cidade e vice-versa, devido ao preço actual dos combustíveis.
O camponês Domingos José Dias realçou que a não comercialização dos seus produtos faz com que o modo de vida das famílias não se desenvolva, tendo em conta que a agricultura constitui a principal fonte de receita dos munícipes de Cambaxe. />Em função do actual quadro, o camponês da comuna de Cambaxe apelou ao governo provincial de Malanje no sentido de implementar uma política que vise a aquisição dos bens produzidos em Cambaxe como, por exemplo, o programa de aquisição de produtos agro-pecuário (PAPAGRO), pois além de melhorar a condição de vida dos cidadãos, estará igualmente a contribuir para a diversificação da economia.
Face a situação actual, a administradora comunal de Cambaxe, Zélia Maria Machado, disse não haver grandes hipóteses para se ultrapassar a actual realidade, pois o escoamento dos produtos depende em primeira instância de meios de transporte, não por parte dos camponeses.
Precisou que para se minimizar a situação, tem se incentivado apenas a permuta de produtos entre os camponeses por si mesmo, alegando ainda que os preços actuais do táxi em nada estão ajudar a resolver esta situação.
Segundo a responsável, os camponeses enfrentam ainda dificuldades de tractores para a lavoura mecanizada, por isso desenvolvem uma agricultura manual, essencialmente de culturas alimentares básicas.
A comuna de Cambaxe dista a cerca de 30 quilómetros a norte da cidade de Malanje e actualmente conta com uma população estimada em 8. 360 habitantes, na sua maioria camponeses.
A agricultura constitui  a principal fonte de subsistência social da população local.

Tempo

Multimédia