Províncias

Produtos expirados foram detectados

Venâncio Victor | Malanje

A brigada de inspecção multissectorial coordenada pela Direcção Provincial da Administração Pública e Segurança  Social (APESS) destruiu, na semana finda, na cidade de Malanje, vários produtos expirados, detectados no Hotel Palácio Regina, uma das unidades hoteleiras de referência na região.

População da cidade de Malanje e arredores aconselhada a denunciar os estabelecimentos que vendem produtos com prazos expirados
Fotografia: Vigas da Purificação

A brigada de inspecção, que integra as direcções províncias da Saúde, Instituto Nacional de Defesa do Consumidor (INADEC), Polícia Económica e Serviços de Migração e Estrangeiros queimou produtos alimentares como refrigerantes, manteiga, caixas de chá e yogurte.
No âmbito das acções de inspecção conjunta entre os órgãos acima referenciados foi igualmente detectada na semana finda a falta de condições de higiene e produtos caducos no Restaurante Capri, localizado na avenida principal da cidade de Malanje.
O chefe de secção de inspecção-geral do trabalho na região, Leandro Cardoso, fez saber que durante as visitas, iniciadas aos estabelecimentos comerciais e similares, foram detectados cerca de quinze infracções em diversas instituições de prestação de serviços.
O funcionário do Ministério da Administração Pública e Segurança Social disse que as infracções se consubstanciam na falta de pagamento de emolumentos na Segurança Social no prazo previsto, falta de seguros de trabalho e doenças profissionais, falta de meios de protecção individual entre outras. Relativamente às infracções, o responsável lamentou a morte de um funcionário da empresa A e B,  resultante de um acidente de trabalho.
Leandro Cardoso disse que o incidente aconteceu no período matinal de quarta-feira, quando o jovem de 24 anos, identificado por António Francisco, que se encontrava no exercício das funções na citada empresa, caiu da viatura, tendo morte imediata.
O responsável da instituição já se encontra a contas com a justiça, disse o inspector.
A falta de seguro da empresa, más condições técnicas da viatura e falta de segurança e higiene no local de trabalho são apontadas como as principais infracções cometidas e que estiveram na origem do acidente mortal do funcionário da empresa A e B Galantino.
Leandro Cardoso disse que a brigada de inspecção multissectorial agora criada vai continuar a cooperar com as demais instituições do Governo, com vista a fazer cumprir o regulamento e as normas de funcionamento das instituições de prestação de serviços. A responsável do Hotel Regina, Emília Franco, destacou o papel dos órgãos de inspecção na educação das instituições e unidades hoteleiras.
O director do Instituto Nacional de Defesa do Consumidor, Carlos Correia, enalteceu a colaboração da população na denúncia de empresas que incorrem em infracções, como a venda de bens expirados.

Tempo

Multimédia