Províncias

Protecção Civil preocupada com intensidade das enxurradas

Francisco Curihingana | Malange

A Comissão Provincial de Protecção Civil estuda formas de evitar que as chuvas, que já começaram a cair em Malange, provoquem grandes estragos, afirmou, na segunda-feira, ao Jornal de Angola, o coordenador executivo daquele organismo.

A Comissão Provincial de Protecção Civil estuda formas de evitar que as chuvas, que já começaram a cair em Malange, provoquem grandes estragos, afirmou, na segunda-feira, ao Jornal de Angola, o coordenador executivo daquele organismo.
O subcomissário José Moniz disse que a comissão esteve reunida, naquele dia, para tomar providência que evitem repetirem-se os estragos registados em 23 de Setembro. Durante a reunião, orientada pelo governador Boaventura Cardoso, foram tratados aspectos relacionados com a prevenção de eventuais consequências das intensas chuvas previstas, pelos serviços meteorológicos, para a região. O governador provincial deu instruções aos sectores que intervêm na Protecção Civil para, dentro de 15 dias, apresentem elementos que permitam a elaborar um plano de emergência. José Moniz referiu ser necessário potenciar a logística para a aquisição de meios utilizados em casos de emergência em função das calamidades, quer em tempo de chuva, quer no período seco. As últimas chuvas registadas na cidade de Malange desalojaram 385 famílias dos bairros da Carreira de Tiro, Katepa, Campo de Aviação e Quizanga.  A Comissão Provincial de Protecção Civil distribuiu chapas de zinco, cobertores e bens alimentares.

Tempo

Multimédia