Províncias

Reaberta ponte sobre o rio Ngola

Venâncio Victor|Malanje

A ponte sobre o rio Ngola, que liga a comuna de Ngola Luige, no município de Malanje, ao de Kiwaba-Nzoje, já está aberta ao tráfego de viaturas e de pessoas e bens, 29 anos depois da sua destruição, durante o conflito armado.

Várias pontes estão a ser reabilitadas visando as trocas comerciais entre as comunidades
Fotografia: DR

A ponte metálica, inaugurada sexta-feira pelo governador Norberto dos Santos “Kwata Kanawa”, tem 15 me-tros de comprimento, quatro de largura e capacidade para suportar 45 toneladas.

A estrutura vai facilitar a livre circulação de mais de três mil habitantes das localidades do Cole 1, 2 e 3, Lumba, entre outras que compõem a comuna de Ngola Luige, isoladas de outras áreas da província desde 1990.
No acto inaugural, o governador Norberto dos Santos disse que a ponte sobre o rio Ngola vem resolver os problemas da população, que durante muito tempo clamava pela sua recuperação, tendo em conta as dificuldades vividas.
O governador, que destacou a reabilitação de uma outra ponte metálica, à entrada da sede comunal, enalteceu a dinâmica da Administração Municipal de Malanje que permitiu a inauguração da ponte, que vai permitir o escoamento da produção agrícola para os centros comerciais da cidade de Malanje.
Norberto dos Santos de-fendeu a necessidade de a população e a Administração Comunal de Ngola Luije preservarem a estrutura ro-doviária e de pôr-se cobro aos actos de vandalismo de bens públicos, que, de forma geral, ocorrem em quase todo o país.
O governador de Malanje lamentou a vandalização, recentemente, das obras do sistema de captação, tratamento e distribuição de água potável, que considera um crime organizado, por pessoas de má-fé.
Norberto dos Santos exortou a administração a desenvolver esforços para que, com os meios à sua disposição, possa reabilitar a via que liga a sede municipal de Malanje a Ngola Luige, para facilitar as trocas comerciais.

Passos subsequentes
O administrador comunal de Ngola Luige, Alferes Macanga, destacou as potencialidades agrícolas da região, tendo realçado a importância da reabilitação das vias de acesso e o processo de registo civil como passos subsequentes para o desenvolvimento local, a par de outros projectos traçados pela Administração Munici-pal de Malanje, no âmbito do Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM).
O administrador de Ma-lanje, João de Assunção, disse que a estrada que dá acesso à comuna de Ngola Luige vai beneficiar de obras paliativas, já que o processo de colocação de asfalto foi descontinuado, aguardando-se pela conclusão do troço, pelo Ministério das Obras Públicas.

Outros sectores
O regedor de Ngola Luige, Andrade Dala, explicou que desde a destruição da ponte, em 1990, a população dependia de uma outra feita de eucaliptos, que causou a morte de quatro pessoas, que se faziam transportar de motorizadas, devido às péssimas condições de circulação.
Andrade Dala disse que, com a reabilitação da ponte sobre o rio Ngola, os habitantes da comuna podem facilmente escoar os produtos agrícolas que se encontram armazenados, com destaque para o bombó, mandioca, feijão, inhame e bata-rena.
A comuna conta com um enfermeiro, 12 professores e quatro escolas nos sectores do Lau, Quimbamba, Dimba e na sede municipal. A agricultura é de subsistência e os camponeses querem apoios em meios de mecanização, sementes e outros inputs agrícolas, para o aumento da produção.
A comuna de Ngola Luige dista 37 quilómetros da cidade de Malanje, tem uma superfície de 24 quilómetros quadrados e uma população estimada em 9.990 habitantes, maioritariamente camponeses.

 

Tempo

Multimédia