Províncias

Recomendado em seminário o ensino de línguas maternas

Francisco Curihingana e Luísa Victoriano| Malange

Os participantes num seminário sobre o “resgate de valores cívicos e culturais” realizado, na sexta-feira, em Malange, pediram às famílias que valorizem o ensino das línguas maternas junto dos jovens.

Os participantes num seminário sobre o “resgate de valores cívicos e culturais” realizado, na sexta-feira, em Malange, pediram às famílias que valorizem o ensino das línguas maternas junto dos jovens.
No encontro foi feito também um apelo à solidariedade, tolerância, respeito pelos mais velhos, convivência pacífica e amor ao próximo.
No seminário, promovido com objectivo de reflectir e trocar ideias sobre a situação actual dos valores cívicos e culturais, os participantes manifestaram-se preocupados com a falta de referência a pessoas da província de Malange na luta de libertação nacional.
A existência de alguns conflitos entre sobas por alguns titulares do poder tradicional não pertencerem às respectivas linhagens foi outra questão debatida.
Os participantes no seminário criticaram o facto de espaços destinados a cultos religiosos serem agora locais de compra, venda e consumo de bebidas alcoólicas, o comportamento anti-social de alguns jovens em lugares públicos e as músicas e danças de conteúdos, em seu entender também anti-sociais frequentemente divulgadas na rádio e na televisão.
Os participantes repudiaram, igualmente, o que consideram ser o excesso de publicidade a bebidas alcoólicas na televisão, quando se sabe, argumentam, que o alcoolismo está na base das maiores causas da violência familiar.
A questão do que dizem ser a falta de medidas repressivas em relação aos que, na sua opinião, assumem comportamentos socialmente reprováveis na escola e na via pública também foi discutida pelos participantes do encontro.
A vice-governadora de Malange para o sector político e social afirmou, na cerimónia de encerramento, que a solução dos problemas que afectam os valores cívicos e morais passa pela participação de toda a sociedade.
Alice Van-Dúnem referiu que o resgate dos valores cívicos e culturais pode ser feito mediante um programa que envolva famílias, professores, igrejas, partidos políticos, educadores sociais e autoridades tradicionais, pois parte considerável da população angolana vive no meio rural. 

Infra-estruturas integradas

A primeira fase do projecto de infra-estruturas integradas da cidade de Malange vai arrancar em Dezembro do ano em curso, anunciou sexta-feira o governador provincial, Boaventura da Silva Cardoso, durante uma reunião técnica de concertação.
O encontro juntou representantes das empresas envolvidas no projecto, como as Sinohydro, Dar-Al-Handasah, do Ministério do Urbanismo e Construção, bem como as gestoras das redes técnicas da cidade de Malange e do sector de construção civil.
O plano director urbano de infra-estruturas integradas para a cidade de Malange está dividido em quatro fases e estende-se por um período de 25 anos.
A primeira fase contempla a rede de esgotos ao longo das vias, sistema de drenagem de águas fluviais, abastecimento, iluminação pública, rede viária e telecomunicações.
A execução do projecto vai ser coordenada pelo Ministério do Urbanismo e Construção, em parceria com o governo provincial de Malange. As obras vão estar a cargo da construtora Sinohydro, ao passo que a fiscalização é da responsabilidade da Dar-Al-Handasah e outras entidades que vão intervir no processo.

Tempo

Multimédia