Províncias

Registo civil gratuito tem grande adesão

Francisco Curihingana | Malanje

A campanha de registo civil gratuito em curso na comuna de Quizenga, no município de Cacuso, em Malanje, conta com grande adesão da população da região.

Expansão dos serviços da Justiça em Malanje permitem aos munícipes de Cacuso tratar vários documentos com mais facilidade e celeridade
Fotografia: Paulo Mulaza | Edições Novembro

A campanha decorre há uma semana e já beneficiou mais de cem cidadãos, entre adultos e crianças.
O soba Adão Manuel Domingos disse à reportagem do Jornal de Angola que a decisão do governo surge em boa altura, uma vez que entre a comunidade, além de crianças em idade escolar, muitos adultos não possuíam identificação.
João Domingos, um morador na comuna da Quizenga, não quis aguardar para os últimos dias. Disse sentir-se aliviado, porque não sabia como registar a sua filha de três anos. “Agora sim, aqui na comuna há muita gente sem identificação. Assim, estamos bem”, disse, visivelmente satisfeito.
A senhora Teresa João também não escondeu a sua satisfação pelo facto de o seu filho, com 12 anos, ter conseguido fazer o seu registo, graças ao trabalho que está a ser levado a cabo naquela circunscrição de Malanje. Referiu que encontrava muitas dificuldades por ocasião do processo de matrículas. “Já não vou ter os mesmos problemas em matricular o meu filho na escola”, disse.
O administrador comunal de Quizenga, Francisco Inoc, disse que o processo surge em boa altura, uma vez que muitos naturais da comuna de Quizenga, afecta ao município de Cacuso, procuravam tais serviços no vizinho município do Lucala, província do Cuanza Norte.
“O processo surge em boa altura. A população está eufórica, estamos todos de parabéns, porque existem até adultos que, por vários motivos, não tinham documentos pessoais”, disse. Francisco Inoc explicou que o registo dos cidadãos é totalmente gratuito, não envolve recursos financeiros e, para o êxito desse processo, contam com o apoio das autoridades tradicionais, que estão a mobilizar as comunidades para aderir ao registo.
Francisco Inoc disse igualmente ao Jornal de Angola que as entidades locais estão atentas para possíveis infiltrações de cidadãos estrangeiros, que, por qualquer eventualidade, se queiram aproveitar do processo de registo massivo, em curso naquela localidade da província de Malanje, onde decorrem várias acções de impacto social, para melhorar a qualidade de vida da população.

Casos de hepatite

O Hospital Regional de Malanje registou 65 casos de Hepatite B, durante o ano transacto, representando um aumento de 19 doentes, em relação a 2015, informou sexta-feira o director clínico daquela unidade sanitária.
Jacob Nlenvo referiu que, face ao aumento de casos, urge a necessidade dos cidadãos adoptarem um estilo de vida cada vez mais saudável e assente no cumprimento escrupuloso das medidas de prevenção como o uso de preservativos durante as relações sexuais ocasionais.
“Os cidadãos devem ter a cultura de ir às consultas trimestralmente, aderirem às campanhas de vacinação, controlar o sangue e o estado do fígado, para além da abstinência ou redução do consumo de bebidas alcoólicas e de outras substâncias que sejam tóxicas para o fígado”, recomendou Jacob Nlenvo.
O director clínico frisou que ao nível do Hospital Regional de Malanje vão ser reforçadas as campanhas de vacinação contra a doença.

Tempo

Multimédia