Províncias

Registo gratuito facilita aquisição de documento

Filipe Eduardo e Luísa Victoriano |Malange

A abertura do processo de emissão do Bilhete de Identidade (B.I) e outros documentos gratuitos para os cidadãos nacionais, está a facilitar a vida de muitos cidadãos que, até agora, não possuem sequer um documento de indentidade.

O processo de registo gratuito está a permitir a muitos angolanos obterem documentos que os identifica como cidadãos nacionais
Fotografia: Jornal de Angola

Na Conservatória do Registo Civil e em aluguns  postos de  identificação  da cidade de Malange, a reportagem do Jornal de Angola registou uma concentração de populares que procuravam pelos serviços, pela primeira vez, para obterem a cédula pessoal,  bilhete de identidade e assento de nascimento.O cidadão Fernando Miguel, 20 anos, residente no bairro da Carreira de Tiros, afirmou que o processo vai facilitar muitos angolanos a  obterem documentos que os identifica como cidadãos nacionais, sublinhado ser uma medida ajustada do Executivo, atendendo que muitos cidadão não tinham capacidade financeira para tratar os respectivos documentos.
A jovem Conceição Domingos, natural da província de Malange e actualmente residente em Luanda, confessou ter se deslocado à terra que a viu nascer propositadamente  para tratar o bilhete a custo zero, ao contrário do que era no passado.
Até às 11h00, conta Conceição Domingos, já tinha conseguido tratar o bilhete de identidade, mas para tal, argumentou, teve de acordar às quatro da manhã devido as enchentes que se registam nos postos de registo.“Portanto, acho ser normal as enchentes nos postos de registo, porque toda a gente quer aproveitar esta oportunidade”, disse. O delegado provincial da Justiça em Malange, Victorino Domingos, disse que o Decreto Presidencial está a facilitar os cidadãos nacionais que, por dificuldades financeiras, não possuíam assentos de nascimento e bilhete de identidade. Desde a entrada em vigor  do referido Decreto, explicou, a conservatória do registo civil e o posto de identificação e o Serviço Integrado de Atendimento ao Cidadão (SIAC) de Malange estão a registar grande afluência de populares, a partir das quatro da madrugada. O responsável garantiu que o sector dispõe de material suficiente  para dar resposta à demanda nos 14 municípios que compõem a província de Malange. No passado, para se obter o assento de nascimento, os cidadãos tinham de pagar 2.828 kwanzas, para a cédula pessoal 3.828 e para o bilhete de identidade 4.075. Victorino Domingos apelou à população de Malange a manter a calma, pois que o prazo de obtenção de documentos gratuitos termina em Dezembro de 2016, pelo que não há razões para se preocuparem.

Energia eléctrica

A instalação em Dezembro de uma central térmica e de seis grupos geradores, com capacidade para produzir 41 megawats, resolve o problema da energia eléctrica na cidade de Malange, garantiu o governador da província.
Norberto dos Santos, que fez a revelação no final de uma visita às obras da subestação da Capopa, salientou que com a central térmica, com capacidade de 19,5 megawats e os seis grupos geradores, cada um dos quais com seis megawats,  adquiridos pelo Governo Provincial “acabam as constantes falhas de fornecimento de energia eléctrica, o que permite o investimento em pequenas indústrias”. O governador, que visitou os bairros Catepa, Kangambo, Cahala, Canambua e da Carreira de Tiro, disse que o balanço da execução das obras sociais previstas para o município de Malange é positivo.
Norberto dos Santos “Kwata Kanawa” visitou as obras de seis escolas do I e II ciclo do ensino secundário, cada uma com oito salas, três laboratórios e um espaço de informática, além das de centros médicos, de recintos desportivos, do jardim da Shell e as de estancamento das ravinas nos bairros da Catepa e Canambua.
 Norberto Santos sugeriu que o colégio privado do bairro Canambua se transforme em centro de formação, pois na zona há várias escolas públicas com ensino gratuito.

Tempo

Multimédia