Províncias

Reposta energia eléctrica em Malange

Luísa Victoriano | Malange

A empresa provincial de electricidade (ENE) já normalizou a situação nos bairros da Canâmbua, Vila Matilde, Maxinde, Cafucufucu e  Cangambo, que ficaram privados de energia eléctrica durante cinco dias, devido à destruição de um cabo de média tensão.

Vista parcial de um dos bairros periféricos da cidade de Malange que esteve às escuras devido à destruição de um cabo de média tensão
Fotografia: Nilo Mateus| Malanje

O director provincial da empresa de electricidade em Malange, Luzolo Nzacala, afirmou que, neste momento, decorre o processo de avaliação dos danos, para se responsabilizar o causador, que já se encontra sob a alçada da justiça.
Luzolo Nzacala assegurou que tudo foi possível graças à rápida  intervenção dos técnicos da ENE, que trabalharam  no terreno e pediu à população para contactar a ENE sempre que quiserem fazer trabalhos pessoais, próximo das linhas de transporte e de média tensão, para que situações do género não voltem a acontecer nos próximos tempos.
Quanto aos cortes constantes verificados na região de Malange, o responsável justificou o facto com a pouca capacidade de transformação instalada nas subestações de Capanda e da Capopa.
De acordo com o director, estão a ser feitos todos os esforços no sentido da resolução dos problemas que a população de Malange vive, cuja solução passa, necessariamente, pelo aumento da potência do transformador, para permitir a expansão da rede eléctrica na região de Malange.A ENE  está a levar a cabo um projecto de instalação dos contadores pré-pagos em vários pontos da cidade de Malange.
 Luzolo Nzacala garantiu que este programa  está a contribuir para o aumento das receitas da empresa, redução do consumo desnecessário  e melhor controlo do fornecimento de energia eléctrica.Na cidade de Malange já foram montados 1.800 contadores pré-pagos e a previsão é instalar, até ao final do ano, dez mil contadores. A ENE em Malange conta actualmente com cerca de 20 mil clientes.

Vandalização de contadores

A ENE também está preocupada com alguns consumidores que vandalizam os contadores automáticos pré-pagos, instalados em vários pontos da cidade de Malange. De acordo com Luzolo Nzacala, esta situação dificulta a melhor distribuição da energia eléctrica à cidade e cria prejuízos à empresa.
Para dar fim a estes actos, a ENE vai aplicar multas aos consumidores que praticarem actos de vandalismo, num valor entre 35 e 50 mil kwanzas.

Tempo

Multimédia