Províncias

Responsáveis agrários em formação

Venâncio Víctor

O projecto de agricultura familiar orientada para o mercado (MOSAP), iniciou na segunda-feira, em Malange, uma acção formativa destinada aos responsáveis das estações municipais de Desenvolvimento Agrário sobre matérias relacionadas com a protecção de fertilizantes, fertilidade dos solos e parcelamento de terras.

O coordenador do MOSAP, engenheiro Carlos Chipoia, destacou a aprovação de 93 novos subprojectos voltados para a produção e preparação de terras, distribuição de sementes e fertilizantes, tracção animal e instalação de moageiras nas comunidades. Estes subprojectos, avaliados em mais de 300 milhões de kwanzas, começaram a ser a­plicados no início da presente é­poca agrícola e abrangem mais de cinco mil famílias camponesas dos municípios de Malange, Calandula, Cuaba Nzoji, Caculama e Cacuso, segundo ocoordenador do MOSAP.
Carlos Chipoia referiu que já foram preparados 500 hectares de terras para a produção de batata rena, feijão e mandioca, e na próxima semana inicia-se a preparação de mais 1.500 hectares.
Além disso, acrescentou, sete das 13 pequenas moageiras já estão em funcionamento nos municípios, uma instalação exigida pelas próprias comunidades para aliviar a produção de fuba de bombó pelas mulheres rurais.
“Depois de um intenso trabalho, as mulheres chegam cansadas do campo e às vezes sem energia para moer o produto, mas com as moageiras conseguem poupar esforços”, referiu Carlos Chipoia, reconhecendo que as moagens são um serviço rentável, que beneficia directa ou indirectamente as mulheres das zonas rurais.
Nos subprojectos que estão a ser incrementados pelo MOSAP são aplicadas novas técnicas de cultivo, denominadas escolas de campo, para garantir o aumento da produção agrícola.
A agricultura familiar orientado para o mercado está a ser desenvolvida nas províncias de Malange, Huambo e Bié com financiamento do Banco Mundial.

Tempo

Multimédia