Províncias

Sector da Saúde preparado para o futuro

Luís Victoriano | Malange

A reabilitação e construção de 40 novas unidades sanitárias tornou os cuidados primários acessiveis à população, disse na sexta-feira ao Jornal de Angola, a responsável pelo sector da Saúde em Malange.

Malange tem curso superior de medicina
Fotografia: Eduardo Cunha

A reabilitação e construção de 40 novas unidades sanitárias tornou os cuidados primários acessiveis à população, disse na sexta-feira ao Jornal de Angola, a responsável pelo sector da Saúde em Malange.
Lazina Vera Cruz esclareceu que o sector conta hoje com 159 unidades sanitárias, o que demonstra o esforço do Executivopara melhorar o nível de vida das populações que no passado percorriam longas distância a pé, em busca de assistência médica e medicamentosa.
Na província foram construídos quatro novos hospitais de referência, com realce para o Geral de Malange, Caculama, Cangandala e o Centro da Carreira de Tiro, que foram apetrechados e equipados com material moderno.
Com 320 camas para internamento, o hospital de Malange presta serviços de cirurgia, medicina, obstetrícia, ortopedia, oftalmologia, cardiologia, estomatologia, e outras especialidades.
A par das infra-estruturas também os quadros do sector passaram de 1.785 para 2.112, entre médicos, enfermeiros, técnicos terapeutas e de diagnóstico, assim como pessoal de apoio.
Apesar de haver mais técnicos, Lazina Vera Cruz adiantou que ainda são insuficientes para dar resposta a todas as necessidades. No entanto, garantiu que, dentro de dois anos, a situação pode melhorar com a entrada de mais médicos e enfermeiros, em formação na Faculdade de Medicina e na Escola de Técnica de Enfermagem de Malange.
Entre as novas unidades, destaca-se o hospital pediátrico, com quatro pisos e equipado com laboratórios, salas de enfermagem, controlo, raio X, transfusão de sangue, registo, Programa Alargado de Vacinação (PAV), gabinetes médicos e capacidade para internar de 100 crianças. O imóvel ocupa uma área de nove mil metros quadrados.
A maternidade, por seu turno, ocupa cinco pisos e dispõe de laboratórios, enfermarias, dalas de tratamento, gabinetes médicos, blocos operatórios, ginecologia, obstetrícia, salas de partos, pré-parto, pós-parto, berçário e aleitamento. Tem disponíveis 82 camas.
A responsável da Saúde disse que com a entrada em funcionamento das novas unidades vai ser possível acomodar melhor os pacientes e os profissionais da saúde e recordou que antes chegava a haver três parturientes a partilhar uma cama, tanto na maternidade, como na pediatria.

Tempo

Multimédia