Províncias

Tractores e alfaias para extensão rural

Francisco Curihingana| Pungo Andongo

Pelo menos 21 mil hectares vão ser preparados em todo o país, no âmbito do programa de extensão e desenvolvimento rural levado a cabo pela Empresa Nacional de Mecanização Agrícola (Mecanagro). Esta decisão foi tomada em Pungo Andongo, Malanje, durante um conselho de direcção.

Mais terras são preparadas no interior
Fotografia: Victor Pedro

Para o cumprimento do plano de preparação de terras, os participantes no encontro, dirigido pelo presidente do conselho de administração da Mecanagro, Carlos Alberto Jaime, defendem a aquisição de mais tractores e alfaias agrícolas.
Os participantes recomendaram ainda a importação de peças de reposição para a reparação dos tractores de origem chinesa, dada a falta de acessórios no mercado.
A Mecanagro pretende reforçar os parques de máquinas em todas as províncias intervenientes no programa de preparação de terras. No conselho da direcção da empresa foi recomendada a constituição urgente das brigadas de engenharia rural, para salvaguardar o cumprimento dos programas executivos da campanha agrícola e de participação activa no programa de reabilitação das vias terciárias.
Durante a reunião foi apresentado o plano estratégico da Mecanagro até 2018. Os funcionários presentes recomendaram a sua aprovação e execução imediata, considerando o objectivo de assegurar o cumprimento das directrizes do Ministério da Agricultura e do Instituto do Sector Empresarial Público. Ao analisar a situação financeira da empresa, desde 2013 e primeiro semestre deste ano, o conselho recomendou a necessidade de aumentar o volume de receitas a todos os níveis, proceder à avaliação da força de trabalho e apresentar os planos de negócios e investimentos até 2017.

Circulação rodoviária


A circulação rodoviária entre a sede municipal de Luquembo e a comuna de Capunda, até então interrompida devido à destruição da ponte durante a guerra, está reposta, com a construção de uma nova ponte metálica sobre o rio Luando.
Durante 39 anos, a ligação entre as duas localidades era feita através de canoas, situação que dificultava o transporte de mercadorias e o desenvolvimento da comuna de Capunda. A ponte dá também acesso às localidades de Ndando, Quimbango (Luquembo) e à província do Bié.
As obras de construção da nova ponte duraram dois meses. A infra-estrutura, com base de betão e tabuleiro metálico, tem 60 metros de comprimento e seis de largura e capacidade para suportar mais de 60 toneladas.
O restabelecimento do trânsito enquadrou-se nas comemorações dos 46 anos desde que Luquembo foi elevado à categoria de concelho administrativo, a 16 de Agosto de 1968. O programa das festividades teve uma noite cultural, jantar de confraternização e entrega de prémios e certificados de mérito aos funcionários e empresas destacadas do município. Com seis comunas (Dombwa Zanga, Rimba, Cunga Palanca, Capunda, Quimbango e a sede municipal), Luquembo ocupa uma extensão de 10.971 quilómetros quadrados e tem uma população de 32 mil habitantes, maioritariamente camponeses.
Luquembo faz fronteiras a Este com os municípios de Quirima (Malanje) e Xá Muteba (Lunda Norte), a Sul com os municípios de Cuemba e Camacupa (Bié) e a Oeste com Mussende (Cuanza Sul) e Nharea (Bié).

Tempo

Multimédia