Províncias

Malanje de olhos postos no desenvolvimento

Venãncio Víctor | Malanje

O município de Malanje, capital da província com o mesmo nome, celebra a13 de Fevereiro do ano em curso, o 85º aniversário da sua ascensão à categoria de cidade durante a administração colonial com olhos postos no desenvolvimento socioeconómico e cultural.

Cidade da imponente Palanca Negra Gigante registou depois do alcance da paz um crescimento demográfico e de urbanização
Fotografia: Vigas da Purificação | Edições Novembro

O administrador municipal, Osvaldo Naval dos Santos, disse à imprensa que, para este ano, as festas da cidade são realizadas com o apoio do sector privado devido à actual conjuntura financeira internacional. Por isso, frisou, trata-se de uma festa com organização institucional por parte da administração e a colaboração em material pelos diversos parceiros sociais.
“O sector privado é um parceiro privilegiado do Governo, que tem a responsabilidade de colaborar com a administração municipal em materiais no sentido de realizarmos com êxito as nossas festas”, disseo responsável.
O administrador destacou o programa de actividades que contempla uma palestra que vai estar dividida em dois momentos, sendo um que aborda a originalidade da cidade e o surgimento dos primeiros aglomerados populacionais e outro que retrata o desenvolvimento socioeconómico dacidade de Malanje.
Osvaldo Naval dos Santos disse que, apesar da crise que a cidade registou, houve crescimento em determinados sectores, como na agricultura e a construção de novos edifícios comerciais. O administrador municipal admitiu que, em termos de crescimento, o município registou um ligeiro abrandamento desde finais de 2013.
Ainda assim, frisou, a população conseguiu aumentar o seu poder de compra, acrescentando que  existem indicadores visíveis que geram uma maior satisfação. Porém, não obstante isso, é preciso continuar a trabalhar, declarou.
O programa de actividades reserva a realização de espectáculos músico-culturais, contando com o apoio da organização do “Angola Música Word”, que vai permitir a materialização  de duas actividades cruciais, designadamente, o moda Malanje,  e um mega espectáculo músico-cultural no Estádio 1º Maio, com a parceria de empresários locais e da capital, para além da tradicional  missa de acção de graças, uma feira municipal a não perder, pois é uma  oportunidade de anunciar e mostrar a toda a população angolana o potencial do município, com a exposição de peças feitas de  artesanato, e um stand automóvel. O plano de actividades inscreve secções de ginástica, bem como a montagem de um parque de diversão para crianças no ex-mercado municipal, realçou.
Na visão do administrador, as festas têm como pano de fundo devolver a alegria à população, vivendo momentos de lazer, colocando de parte as acções de rotina dos munícipes. Segundo Osvaldo Naval dos Santos, as as festividades da cidade vão culminar com a realização de um circuito motorizado na perspectiva de valorização dopapel do desporto.

Beleza arquitectónica

Osvaldo Naval dos Santos destacou a beleza arquitectónica dos seus edifícios, associada ao surgimento de novos e emblemáticos espaços de lazer erguidos em tempo de paz, que estão a dar um novo visual à cidade. O destaque recai para o Largo Rainha Nnjinga Mbande, bem como no Jardim Municipal, ex-Largo da Liberdade, totalmente restaurado, apenas para citar estes. Em 14 anos de paz, a cidade da imponente Palanca Negra Gigante registou um crescimento radical quer do ponto de vista demográfico, quer a nível da urbanização, consubstanciado na melhoria das vias de comunicação, no sistema de iluminação e de esgotos, colocação de semáforos, expansão da rede de distribuição de água e energia, novas escolas e unidades sanitárias, entre outros bens e serviços para o bem-estar dos seus munícipes.
O administrador municipal sublinhou que, de um tempo a esta parte, foram recuperados e construídos vários edifícios no centro da cidade, com destaque para as instalações do Governo Provincial de Malanje, que comporta seis pisos, os palácios municipal e provincial e recintos desportivos.
O sector hoteleiro é um dos que também marcou passos gigantes nos últimos anos, com a construção de grandes novos hotéis, com destaque para o Palanca, Regina 2, Ginga Hotel e o Poligno, entre outros, cujas obras estão na fase conclusiva. A propósito, o administrador Osvaldo Naval dos Santos enalteceu o contributo do sector privado e empresarial que também oferecem serviços à população e postos de trabalho aos jovens locais.
A nível dos bairros periféricos, registaram-se igualmente melhorias com a construção de novas estradas secundárias e terciárias, algumas das quais inseridas no âmbito das infra-estruturas integradas da cidade de Malanje.
A título de exemplo, referiu, os bairros Carreira de Tiro, Quizanga, Ritondo e Cahála ganharam novas estradas e sistema de iluminação pública e de esgotos, enquanto noutros decorrem acções de terraplanagem para facilitar a circulação de pessoas e bens, como na Canâmbua e Maxinde que aguarda a conclusão dos trabalhos na época de cacimbo. Referiu que, até há bem pouco tempo, foi recuperado o troço de acesso à barragem do rio Malanje, que liga os bairros Maxinde e Camoma. “É um daqueles trabalhos que não podemos parar de fazer, visto que os problemas sociais têm de merecer sempre atenção da nossa parte, primeiro porque são terraplanadas e requerem manutenção periódica, segundo porque facilitam a circulação dos munícipes principalmente dos motociclistas”, disse o responsável municipal.
Questionado sobre a reabilitação do troço da Xawande que se encontra em estado avançado de degradação numa extensão de três quilómetros, o administrador precisou que é um trabalho que carece de outras intervenções a nível do governo provincial, pois, como referiu, não tem a ver muito com a administração municipal.
“Vamos esperar o apoio do Governo como tem sido noutras situações, visto que a intervenção passa pela colocação de tapete asfalto, valasde drenagem e iluminação para facilitar a circulação. Admitiu que a administração não pode construir estradas, pois a sua acção está mais virada para a vertente de combate à pobreza e de pequenas acçõescomunitárias internas de pequeno volume, diferente da recuperação de uma estrada daquela dimensão, mas o que temos vindo a fazer dentro da responsabilidade da instituição são os trabalhos de terraplanagem daquela via terciária da zona da Cangambo.

Saneamento básico

A Administração Municipal de Malanje reforçou as acções das operadoras de limpeza urbana, com a recolha de resíduos sólidos para impedir certas doenças provocadas pelo lixo, como as doenças diarreicas agudas, o paludismo e quiçá a cólera.
Independentemente da recolha, existem trabalhos da sensibilização junto da população para que colabore na recolha de resíduos sólidos, bem como na fumigação dos bairros para eliminar a propagação dos mosquitos, devendo ser um trabalho contínuo.
A cidade de Malanje conta agora com um novo espaço para deposição de resíduos sólidos, à entrada da comuna de Ngola Luije. O local não oferece quaisquer riscos de saúde pública, garantiu o administrador Osvaldo Naval dos Santos.
A municipalidade conta, nos próximos tempos, com um novo aterro sanitário, a ser construído na comuna de Cambaxi, passando a ser o maior ganho a nível da cidade. As autoridades continuam a pressionar o Governo nas reuniões de consertação social para imprimir uma maior celeridade à efectivação do projecto que já esta aprovado, mas, como acrescentou, falta apenas trabalhar no processo do projecto, para quem é uma matéria que diz respeito ao Ministério do Ambiente. Compete apenas à administração manter a preocupação junto do governo local que, por sua vez, vai interagir com o Governo central para, rapidamente, ser materializado o aterro sanitário, pois será dos maiores ganhos, tendo em conta o actual crescimento populacional que ronda já aos 506 mil  habitantes .
“É muita população, porém, a produzir  resíduos sólidos que devem merecer um bom tratamento”.  Frisou que  isso só se torna  possível quando estiver resolvida a situação do aterro sanitário.

Energia e Águas


No capítulo da iluminação pública, o administrador avançou a criação, a nível da administração, de uma equipa para tratar da questão da manutenção dos postes e da substituição das lâmpadas nalgumas zonas da cidade. “Esta equipa continua a trabalhar. Houve um ligeiro abrandamento desde a quadra festiva até agora, mas conseguimos
adquirir alguns materiais. Vamos fazer, a partir de agora, a reposição,
reparamos, pois, que alguns postos precisam já de serem reabilitados ou trocadas as lâmpadas.”
Em termos de água, o centro da cidade e as comunas que compõem o município, como a comuna sede, Cambaxi e Ngola, estão bem servidas. Os bairros periféricos da cidade são os que clamam por uma maior atenção. Os trabalhos estão já em curso, garantiu o administrador de Malanje.
Explicou que a nível do programa municipal de combate à pobreza, foram realizados pequenos sistemas de abastecimento de água nalguns bairros, destacando-se a  recuperação de um grande sistema de captação e tratamento de água no Campo de Aviação, junto à linha dos Caminhos-de-Ferro de Luanda.
Por outro lado, temos vindo a acompanhar também os trabalhos em curso, a nível do Governo central, em parceria com o governo provincial, nosbairros Campo de Aviação e Cangambo que vão permitir quatro mil novas ligações domiciliárias. Reforçou que os trabalhos estão no fim e algumas residências já estão ligadas à rede de distribuição do precioso líquido.
“Tudo indica que a nossa intervenção não tem sido só ao nível do casco urbano e das comunas, mas também estamos muito preocupados ao nível dos bairros periféricos”., frisou

Novos projectos


A Administração Municipal de Malanje mantém, para este ano, a mesma carteira de projectos, que contemplam alguns de impacto social junto da população, no  caso da reabilitação do SIC SEC, do Quissol, que se encontra degradado, a recuperação de alguns furos de água a nível dos bairros periféricos, no âmbito do projecto nacional “Água para Todos”.
Alguns serviços comunitários, como a reabilitação de sistemas de drenagem de água, a nível da cidade e bairros periféricos, e  a terraplanagem também estão inscritos no nosso programa municipal para 2017, devendo ser executado sem grandes problemas, assegurou o interlocutor.

Unificação das aldeias


O projecto de unificação das aldeias está em curso. Neste momento, decorrem acções no sector de Quibinda, que vai ser a primeira aldeia modelo. O objectivo, de acordo com o administrador Osvaldo Naval dos Santos, é facilitar a organização dos aglomerados populacionais, aglutinando-as para se se evitar aldeias dispersas com dezenas de famílias para uma melhor distribuição dos principais serviços sociais básicos, como escolas, hospitais, água e energia, entre outros que concorrem para o bem-estar das comunidades.
“Pretendemos aldeias unidas com mais de 500 famílias, tornando possível levar a água, escolas, centros de saúde. Tudo fica mais fácil e, de forma muito eficaz, se consegue resolver o problema das nossas populações naquilo que são as suas carências diárias, saúde, escola, água”, disse.
O administrador municipal destacou a moralização dos munícipes para a preservação dos bens públicos postos à sua disposição. O responsável descartou actos de vandalismo, fruto da sensibilização das pessoas, mas o que acontece tem sido algumas situações pontuais, como acidentes na via pública que, às vezes, acabam por danificar uma árvore ou um posto de energia e não na vertente propriamente da vandalização que já não tem se visto.
“O nosso trabalho de sensibilização junto das populações está a funcionar e a nossa população tem estado a ver de forma paulatina de que há toda necessidade de colaborar com a administração, pois, como afirmo, já não há motivos de queixa, o que tem contribuído para a boa imagem da cidade de Malanje”, disse. Destacou, a esse respeito, a organização dos munícipes na realização de campanhas de limpeza o que é salutar. Disse que nalguns casos a administração municipal apenas é solicitada para participar naquilo que é a recolha de resíduos sólidos que provêm de um determinado edifício.

Tempo

Multimédia