Províncias

Malária continua a fazer vítimas

Os hospitais da província do Bié registaram, no segundo trimestre deste ano, a morte de 214 pessoas, vítimas de malária, mais nove óbitos em relação ao período anterior, informou o chefe departamento em exercício de Saúde Pública e Controlo de Endemias. 

Autoridades gizam estratégias para conter a doença
Fotografia: Arimateia Baptista | Edições Novembro | Matala

Nelson Stover  disse que, no mesmo período, as autoridades sanitárias da província do Bié notificaram 45.202 novos casos que resultaram na morte de 14 doentes. 
Para diminuir o impacto da doença, o sector desenvolve vários programas, tais como a introdução de novos medicamentos para o tratamento da enfermidade, distribuição de mosquiteiros tratados com insecticidas e palestras de sensibilização.
A formação do pessoal médico, a pulverização de residências e o combate às águas estagnadas, constam   das medidas de prevenção da enfermidade.
Do  programa fazem parte o combate à malária, pulverização intradomiciliar e luta antilarval, folhetos informativos, introdução de novos medicamentos para o combate à enfermidade, assim como a realização de testes rápidos para detecção da doença.
O chefe de departamento em exercício de Saúde Pública e Controlo de Endemias aconselhou a população a continuar  a dar importância à prevenção da doença, sobretudo a luta contra o mosquito transmissor da doença, visando reduzir a morbi-mortalidade nas comunidades. 
“É preciso sensibilizar a população no sentido de se evitar a propagação da doença, o que passa por várias medidas, sobretudo  pela melhoria do saneamento básico. Penso ser importante  o empenho de cada um”, disse o responsável, que espera que se faça um combate cerrado a esta patologia que tem criado inúmeras vítimas mortais nos hospitais da província.
“Vamos continuar nesta frente e acredito que sairemos vitoriosos, desde que todos participem activamente “, sustentou o responsáve.

Tempo

Multimédia